• Quem você mais admira? Não vale falar família ou líderes religiosos. Para muitas pessoas, essa resposta pode ser difícil de encontrar, principalmente para as pessoas mais velhas que já viram e ouviram muitas coisas e estão um pouco mais descrentes do Ser humano. Quando a sombra de alguém aparece ficamos chocados, como se alguém pudesse ser livre dessa regra universal que é a dualidade. Todo Ser humano tem lado ruim. Uma pessoa só é boa até que possamos ouvir seus pensamentos, então aceite isso. Alcançar o poder e não ser dominado pelo Ego ou não ser consumido pela arrogância, enriquecer e não perder os valores, ser fiel às origens são qualidades difíceis e por isso louváveis e admiradas por todos. Nos identificamos com quem é assim, mesmo que não sejamos iguais. Precisamos entender que temos lado negativo, conhecer quais são esses traços da nossa personalidade e entender o motivo pelo qual existem. Com isso iremos parar de julgar os outros e focaremos mais em nos melhorar. Na ultima semana, Maria Sharapova uma linda tenista e muito talentosa foi pega no exame antidoping, uma atleta ambiciosa que até todos saberem, não achava que fazia algo de tão errado. E é assim com todos os erros que cometemos, até não serem descobertos, eles não parecem tão errados. E ela não foi a primeira e nem será a ultima a passar por isso. E quem é que pode julgar? Cometemos erros também. Muitos pais acreditam que o mau comportamento do filho é causado pela influencia de pessoas com comportamentos negativos, mas isso não é totalmente verdade. Eles já vieram com sua parcela de maldade, assim como todos nós. Estamos em uma época em que faltam-nos bons ídolos. Os famosos de hoje tornaram-se famosos por qualquer motivo menos por ter talento, talvez pelo belo corpo, pois os “nudes” estão em alta. E eles são, infelizmente, formadores de opinião. Pais, vocês irão se preocupar de qualquer jeito, o que podem fazer é criar uma boa base através de seus exemplos para que seus filhos tenham um bom caráter e não se deixem influenciar por qualquer coisa baixo padrão. E passem a se identificar e copiar comportamentos de pessoas realmente notáveis.

  • 1 – Aceite a realidade. Se vocês terminaram é por que tem algum motivo que faz vocês não darem certo juntos. Perceba se é um motivo real ou fantasia como o ciúmes. 2- Não se humilha. Se você levou um pé na bunda, aceita e parte pra outra. Não procure a pessoa, não entre nas redes sociais da pessoa, não queira saber da vida dela. 3 – Não devolva nada, nem o passaporte. Essa história de que vocês precisam se ver para devolver as coisas do outro é só uma desculpa para não aceitar o fim do relacionamento e tentar alguma coisa que pode ser humilhante. 4 – Aproveite o momento sozinho (a) para refletir sobre quem é você sem a influencia de ninguém. Fique um tempo sozinho sem procurar ninguém para namorar. 5 – Faça coisas sozinho (a) e perceba como se sente. Se você não gosta da sua companhia porque alguém tem que gostar? 6 – Saia com seus amigos, reveja antigos amigos, faça novos amigos. 7 – Leia livros, faça cursos de assuntos interessantes, assista palestras, aproveite para ser mais culto (a) e mais interessante. 8 – Procure a companhia de amigas mulheres, faça brigadeiro, assista filmes, faça uma festa do pijama, mesmo que você seja homem. 9 – Quando já estiver curado da dor do amor perdido… Faça uma lista de tudo que uma pessoa precisa ter para namorar com você, todas as características de que você gosta e admira em alguém. 10 – Mentalize essa nova pessoa chegando na sua vida e não aceite nada menos do que você merece.

  • Emocionante para quem consegue sentir empatia pela tragédia. Uma moça de 17 anos é sequestrada e mantida em cativeiro por oito anos, nesse período ela tem um filho com o sequestrador que a estupra regularmente. Chocante e infelizmente real. Apesar de não constar que o filme é baseado em fatos reais, fatos muito parecidos já foram noticiados pelo mundo todo. Abuso sexual atinge 1 em cada 10 mulheres no mundo. Dados reais, mas que infelizmente não pensamos ou falamos muito a respeito. O filme é comovente e nos faz pensar em como os Seres Humanos se comportam. Para que Jack não percebesse o que acontecia, Joy criou um mundo paralelo para eles viverem, o quarto era todo o planeta e o que aparecia na televisão era de outro planeta ou fantasia. Eles brincavam, riam, faziam exercícios, estudavam e liam livros, tudo sem nunca sair do quarto. Jack teve uma infância saudável e feliz enquanto estava no quarto porque não tinha necessidade de nada, ele tinha o principal que toda criança precisa, o amor da mãe dele. Depois que saiu do quarto ele desejava voltar para lá, pois era o mundo que conhecia. Não brincava com os brinquedos novos e sentia falta da rotina com a mãe. Para as crianças a única coisa que importa é o amor e como é na infância o momento em que mais estamos conectados com a nossa essência, para os adultos isso também se aplica. Se tivermos nossas necessidades básicas bem satisfeitas, precisamos apenas de amor. Todo o resto é ilusão criada para consumirmos cada vez mais. Nós somos capazes de nos acostumar a absolutamente tudo. Somos seres sensíveis e indefesos, submissos e ingênuos, somos facilmente manipulados e enganados. Conseguimos perceber isso quando ouvimos discursos de grandes líderes, nos emocionamos e somos convencidos pelas palavras e pelo tom de voz e não pensamos se o que ouvimos é a verdade ou se nos fará bem. Por isso políticos e pastores fazem aulas de oratória. O filme se divide em duas partes, dentro e fora do quarto, prisão e liberdade. Tudo o que Joy queria era sair do quarto e voltar para a família e quando isso acontece, ela não se vê feliz, entra em depressão profunda e tenta suicídio. Esse momento do filme representa as nossas fantasias de liberdade. Muitas vezes acreditamos que ao mudar de situação seremos mais felizes, ao sair de um casamento, da casa dos pais, de um emprego, ou qualquer situação em que nos sentimos presos, mas mudar de realidade não é garantia de felicidade. A fuga nem sempre é o melhor que podemos fazer. Claro que em casos de prisão física ou emocional, quando não temos escolha, o melhor que podemos fazer é tentar fugir. Mas na maioria das vezes, nós mesmos nos colocamos em prisões. Nós escolhemos não ser livres quando não pensamos sobre nossas escolhas. A única liberdade que existe é a consciência. Aprofundando um pouco mais, e levantando uma questão polêmica, podemos pensar nos motivos pelos quais

  • As crianças são reflexo do que acontece na família, são mais fortes do que pensamos, mas absorvem tudo o que se passa no ambiente. Crianças aprendem por imitação e não ouvindo lições dos pais, por isso se você quer educar bem um filho, dê a ele bons exemplos ao invés de falar como ele deve se comportar. A vida de uma criança é como a de um adulto, eles têm questões importantíssimas para tratar com o coleguinha da escola, têm inseguranças no primeiro dia de aula ou frente a algo inesperado, sentem ansiedade, medo, tristeza, raiva, culpa, mágoa, como qualquer adulto. E mesmo que para nós eles pareçam não ter nenhuma responsabilidade além da escola, para eles, o mundo é cheio de desafios. Nós nascemos livres, autênticos, felizes e cheios de energia, os acontecimentos da vida e o relacionamento com os pais nos tornam o que somos hoje: confusos, ansiosos, inseguros e com baixa autoestima, pelo menos é assim com a maioria das pessoas. Então como fazer para que uma criança não perca essas características maravilhosas infantis? Dê a ela um equilíbrio na vida e se não houver equilíbrio em casa então é hora de colocar um psicólogo na rotina dessa criança. Crianças precisam de regras porque o mundo dos adultos é cheio de regras. Mas não veja isso como uma coisa negativa, regras são essenciais na vida das pessoas, elas são a base da disciplina. E pessoas disciplinadas têm mais sucesso e são mais felizes. Para realizar um sonho precisamos ter foco e disciplina, para conquistar uma saúde excelente precisamos ter regras e disciplina. Para aqueles que não gostam de regras ou não são disciplinados eu pergunto: vocês estão 100% satisfeitos com os resultados que estão obtendo na vida? Outro momento que os pais devem procurar ajuda profissional para seus filhos é quando a criança tem uma grande quebra na rotina: separação dos pais, mudança de cidade, falecimento de alguém próximo à criança, até mesmo um animal de estimação. Ou também em situações em que a criança tem alguma distorção cognitiva, problemas de aprendizado,  algum transtorno mental ou síndrome, qualquer coisa que fuja da normalidade, julgamos como normalidade o que acontece com a maioria das pessoas para termos um parâmetro. É importante não rotular uma criança, pois eles têm uma capacidade de cura muito rápida, uma criança que aparentemente tem bipolaridade, se tratada de forma correta, logo não apresentará mais esse quadro. Por isso antes de iniciar qualquer tratamento com medicamento psiquiátrico em uma criança, tenha certeza de que nenhum outro tratamento deu resultado, até mesmo os holísticos. Crianças precisam brincar, isso faz parte da forma como eles aprendem e se desenvolvem, o corpo humano foi feito para se mexer e crianças têm muita energia, então é importante que elas estejam cansadas de tanto brincar no final do dia, caso contrário, será uma criança nervosa e agitada. Crianças não podem ficar sentadas horas jogando vídeo game, isso é ótimo para os pais e péssimo para elas, precisa ter equilíbrio

  • O filme é baseado na história de Joy Mangano, a mulher que criou a Mop Miracle: esfregões que não sujam as mãos e que podem ser lavados à maquina, práticos e seguros. A partir de uma necessidade ela criou uma solução. Eu particularmente não gosto dos filmes do diretor David O. Russell, e não foi diferente no filme Joy. É uma história muito interessante, com muito potencial contada de uma forma ruim com atores que não combinam com o papel. Joy é uma mulher com mais de 30 anos, divorciada, tem dois filhos e trabalha como balconista na empresa Eastern Airlines. Quando criança era muito inteligente e criativa, percebia as necessidades e criava produtos, isso se perdeu após o divórcio dos pais e a “ausência” da mãe. Dezessete anos depois ela se vê em uma vida difícil, pois toda a família depende emocionalmente dela. Em sua casa também mora sua mãe, sua avó, seu ex-marido e seu pai, além de seus filhos. Seu pai é um homem difícil que vive em em atrito com as pessoas. Sua mãe passa o dia todo deitada assistindo novelas como meio de fuga da realidade, deixando para Joy todo o trabalho da casa, além de criar problemas para Joy resolver. Uma pessoa com personalidade dependente, que se vitimiza e espera que os outros resolvam seus problemas. Apenas sua avó e sua melhor amiga, Jackie, a incentivam a correr atrás de seus sonhos e a se tornar uma mulher forte e bem sucedida. Seu pai começa a namorar Trudy, uma viúva rica com alguma experiência de negócios. Joy cria modelos de um esfregão auto-torcido, constrói um protótipo com a ajuda dos funcionários da loja de seu pai e convence Trudy a investir no produto. Depois de muitos desafios ela consegue realizar seu sonho. Joy sofreu com o divórcio dos pais, o que acontece com muitas pessoas. Nesse momento ela tinha dois caminhos: tomar as rédeas da família e de si mesma ou ficar triste e reclamar como a vida foi injusta e que "se os pais estivessem juntos ela seria melhor". Todos nós passamos por dificuldades e temos essas duas escolhas: reclamar ou resolver. O grupo das pessoas que apenas reclamam está condenado ao fracasso. E o grupo das pessoas que resolvem problemas está destinado ao sucesso.  É simples. Joy acreditou na sua ideia e a defendeu, não duvidou, não desanimou e não desistiu, isso fez com que ela alcançasse o sucesso. Uma passagem bem interessante no filme, uma das melhores partes, foi quando ela corta seu cabelo. Segundo os visagistas, o cabelo de uma mulher diz muito sobre ela e que os cabelos chanel deixam a mulher mais controladora e independente. Percebeu-se claramente um empoderamento depois que ela cortou os cabelos. O que podemos aprender com o filme: Você precisa ter um objetivo na sua vida. Você precisa acreditar completamente no potencial do seu produto. Nunca desista da sua ideia por mais difícil que seja realizá-la. Não tenha preguiça. Nunca é tarde para começar. Aprenda tudo o que puder

  • Seres humanos são bons ou maus? O que é o certo a ser feito? O que é justo? Você se considera uma boa pessoa? Seres Humanos são o que mais existe de sensível. Somos seres totalmente emocionais e acreditamos que somos racionais. Precisamos acreditar nisso para que toda a estrutura que criamos para o planeta funcione. Mas como podemos perceber nada funciona, tudo é ilusório, pois estamos escondendo essa verdade: somos sensíveis e emocionais, tomamos decisões através de nossas emoções e por isso somos facilmente manipulados. Isso não é uma coisa que nos agrada saber, não é mesmo? Por isso fingimos que não é assim que as coisas funcionam. Você se considera uma pessoa boa? Não, você não é. Você tem momentos que está sendo bom e momentos que está sendo mau. Não existe Ser Humano totalmente bom nem totalmente mau. Nós nos achamos boas pessoas até que alguém possa ler nossos pensamentos. Todos nós temos sombra! Nossa sombra é feita de pensamentos, emoções e impulsos que achamos dolorosos, constrangedores ou desagradáveis para aceitar. Ao invés de lidarmos com eles, os reprimimos e negamos. Se você não concorda e pensa “eu sou bom, não faço mau a ninguém” será que você está sendo bom para você mesmo? Muitas vezes, as pessoas são muito más com elas mesmas. Todos nós temos sombras que afetam outras pessoas e somos afetados pelas sombra dos outros, principalmente das pessoas que mais convivemos. Nós (na verdade nosso Ego ferido) escondemos tudo aquilo que não aceitamos em nós, negamos nosso lado mau. Para fazermos isso perfeitamente (achamos que fazemos) nosso Ego constrói uma máscara (persona) que esconde dos outros nossos defeitos e nossa vulnerabilidade e mostra ou cria características que são admiradas e bem aceitas. O objetivo é ser amado, aceito e admirado pelo maior número de pessoas, ou só pelas mais importantes. Nós temos características boas e ruins, mostramos as boas e escondemos as ruins. Muitas vezes escondemos de nós mesmos. Sempre haverá um “mas” e sempre haverá um bom argumento para explicar uma resposta emocional ou um comportamento negativo. Fomos condicionados a temer o lado obscuro da vida, assim como o nosso. Negar nosso lado negativo intensifica o poder da sombra. Cada aspecto que vemos no outro, positivo e negativo existe dentro de nós. Temos todas as emoções e características humanas, mas é mais fácil projetá-las nos outros do que reconhece-las em nós. Se você anda julgando muito os outros é porque tem muita sombra dentro de você. Reconhecer e integrar nossa sombra é um dos exercícios mais difíceis que uma pessoa pode fazer, exige humildade, autoconhecimento e muita vontade de querer ser alguém melhor. A maioria das pessoas não entende esse conceito e não conhece sua sombra, por isso que estamos vivendo um colapso mundial. O que vemos no mundo é o resultado da sombra de cada um projetada no inconsciente coletivo. Não há nada que vemos fora que não exista dentro. Nosso comportamento não deve depender do comportamento dos outros e sim

  • Todos os nossos comportamentos são definidos apenas por duas coisas: prazer e dor. Temos reações instintivas á eles.Não tomamos decisões racionalmente, é o nosso lado emocional quem decide, nos aproximando do prazer ou nos afastando da dor, depois explica para o lado racional o motivo da escolha.O que associamos ao prazer e a dor que definirá nosso destino, pois nossas escolhas são inconscientes e baseadas nessas associações.Mas o que é o prazer?É uma sensação de bem estar e plenitude, não necessariamente ligada à alegria ou felicidade. É uma resposta da mente indicando que nossas ações estão sendo benéficas, porém “benéficas” é subjetivo, podemos sentir prazer fazendo coisas que não são saudáveis ou legais.É de natureza humana sentirmos prazer quando satisfazemos nossas necessidades fisiológicas: fome, sede, sono, sexo, excreção e abrigo. E se alguém não sentir prazer fazendo alguma dessas coisas é porque há algum trauma por trás que deve ser tratado.Seguindo a pirâmide de Maslow, tudo que há nela são fontes de prazer, como a sensação de segurança quando nos sentimos inseguros, a sensação de ser amado quando nos sentimos carentes, ou seja, satisfazer nossas necessidades nos dá muito prazer. Também por sermos reconhecidos pelo que somos ou pelo que fazemos, assim como a auto realização quando conquistamos algo que desejamos pelo nosso próprio esforço. Ganhar algo que queremos nos dá alegria passageira, conquistar algo nos dá prazer duradouro.Muitas coisas podem ser fontes de prazer, quanto mais autoconhecimento uma pessoa tem, mais ela sentirá prazer, pois tomará decisões alinhadas com suas preferencias.Um grande problema da nossa cultura é que o prazer está relacionado apenas a três coisas: poder, dinheiro e sexo, e é assim que o mundo vai caminhando para um lugar que ninguém gosta, porém desenvolver consciência ninguém quer.A falta de consciência pode ser um grande perigo quando falamos de prazer, pois é por esse caminho que somos facilmente manipulados. Um exemplo disso são as grandes indústrias alimentícias que visam apenas o lucro e não a saúde. Refrigerantes, doces e vários alimentos não fazem bem, porém tem um ótimo sabor e por isso são consumidos aos montes, e depois a indústria farmacêutica lucra com corpos adoecidos.Somos manipulados também pelo nosso ego, que ao buscar um prazer sem consciência, pode nos colocar em situações terríveis. Qualquer coisa errada que alguém faça é pela busca de algum tipo de prazer, porém jamais chegará ao prazer pleno por esse caminho.É da natureza humana ser bom, quando alguém foge disso é porque está sofrendo e reagindo, então está se afastando da fonte genuína do prazer, está seguindo uma ilusão.A busca pelo prazer instantâneo faz com que as pessoas desenvolvam hábitos nocivos como compulsões e vícios. Masquando há consciência, o prazer fica muito melhor e infinito.É só observar, realmente olhar as verdades da vida. Quais são as coisas que mais causam prazer e que são verdadeiras e não manipulações? A resposta é mais simples do que parece, tenho certeza de que se você quiser descobrir, não vai demorar muito e terá uma vida com muito mais

  • O livro “O pequeno Príncipe” foi escrito em 1943 pelo francês Antoine de Saint-Exupéry e ainda é o livro francês mais traduzido e vendido no mundo. Trata-se de uma fábula, ou melhor, uma parábola que ensina aos adultos algumas verdades da vida. Disfarçado de livro infantil, o autor descreve através de metáforas alguns ensinamentos que só através dos olhos de uma criança podemos relembrar dessa nossa sabedoria. É uma história riquíssima e cheia de ensinamentos que se aplicados, tornariam nossos relacionamentos mais fáceis. O livro começa com o autor relatando sua experiência infantil, quando ao desenhar uma jibóia que engoliu um elefante todos os adultos viam um chapéu. “As pessoas grandes têm sempre necessidade de explicações…”Adultos realmente se negam a enxergar as verdades da vida, precisam de explicações racionais para se convencer de alguma coisa, quando na verdade somos muito mais seres emocionais do que racionais e fingimos que não. O autor continua relatando sua história até a fase adulta, quando se perde no deserto e conhece o Principezinho, ou podemos dizer que ele entra em contato com a sua criança interior. Através de longas conversas durante o dia, o príncipe vai passando ao autor sua essência através de questionamentos, relatando sua rotina em seu pequeno planeta. Uma grande preocupação do príncipe são os Baobás, uma planta que se não for arrancada assim que aparece pode tomar conta e destruir seu planeta. “As sementes ruins de Baobás são pequenas antes de crescer, é preciso arrancar logo, mal a tenhamos conhecido”. Podemos aprender com essa lição a como combater o mal que se aproxima de nós, seja nossa sombra ou alguém próximo. Todo mal antes de crescer também é pequeno e começa aos poucos. Quando uma pessoa nos maltrata, geralmente ela começa aos poucos e nós permitimos que esse mal cresça, assim como nossa raiva, tristeza e mágoa. O relacionamento do príncipe com sua flor é conturbado e o deixa confuso, assim como muitos de nossos relacionamentos. Foi por isso que ele partiu de seu planeta. “Não soube compreender coisa alguma! Deveria tê-la julgado pelos atos, não pelas palavras.” Diz isso quando descreve uma briga com a flor, é o que fazemos em nossos relacionamentos, julgamos as pessoas pelo que elas falam, mas quem disse que elas sabem o que falam? Devemos julgar as pessoas pelos seus atos. Devemos julgar as pessoas? Sim. Essa história de não julgar os outros é só para Jesus, enquanto formos seres humanos estaremos julgando querendo ou não, então vamos usar o equilíbrio para isso também. Não devemos julgar os outros sem olhar para nossos erros, pois de nada adianta, o que vemos fora está dentro, por isso nos identificamos. Devemos julgar se devemos manter as pessoas ao nosso lado, se elas estão nos acrescentando ou nos prejudicando e também se podemos ajudá-las. Como faríamos isso sem julgar? “É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas.” Podemos aplicar essa metáfora em vários pontos de nossa vida. Em relação a nós mesmos, sobre nosso

  • Final de ano, sol, calor, praia, férias? Não para alguns pais. Enquanto as crianças se divertem em casa, essa época de férias escolares pode ser o momento em que muitos pais trabalham o dobro. Cuidar das crianças pode não ser tão fácil, mas nós vamos te ensinar alguns truques infalíveis que tornarão essa tarefa mais simples e divertida. Crianças adoram se sentir importante e fazer parte de alguma coisa. Criança entediada é um problema e o tédio é prejudicial para o desenvolvimento emocional e cognitivo. Crianças são como adultos, só que mais espontâneas, fantasiosas e imaturas. Elas sentem medo, ansiedade, vergonha, não se conhecem muito bem, por isso muitas vezes não sabem o que querem, são agitadas e curiosas. Elas querem e precisam sentir segurança nos pais, por isso os limites são tão importantes. Na maioria das vezes conseguimos controlar uma crise infantil com perguntas, isso faz com que a criança pare de pensar no que estava pensando e raciocine para responder. Quando a criança fizer aquele show de fazer os pais passarem vergonha, ela obviamente está com um problema que não consegue resolver, sente uma mistura de frustração com raiva e medo. Então o adulto deve parar tudo que estiver fazendo e perguntar para a criança: “esse problema é pequeno, médio ou grande?” Ensine-a sobre os problemas da vida, que eles podem ser fáceis de resolver ou difíceis e que você a ajudará. Depois faça um exercício para controlar a ansiedade da criança, diga a ela: “vamos imaginar que estamos enchendo uma bexiga enorme, vamos inspirar pelo nariz e soltar pela boca bem devagar.” A respiração acalma adultos e crianças. E também ajudará se você disser: “agora vamos deixar seu problema aqui em cima da mesa até que... e depois continuamos a resolvê-lo”. Crianças são muito imaginativas, isso dará certo. Outra dica para esse momento é ouvir o problema da criança e perguntar: “porque você pensa assim?” Ajude-a a responder e elaborar o que está sentindo. Se a criança estiver ansiosa por algo que irá acontecer pergunte para ela: “o que acontecerá depois disso?” Peça para ela repetir várias vezes: “eu posso fazer isso, eu consigo fazer isso, vai dar tudo certo” com várias entonações de voz e até mesmo cantando, isso tornará a situação mais leve. Depois você pode dizer: “eu amo você e juntos nós formamos uma equipe incrível”. Também ajuda a dividir o problema em pequenas partes: “com o que precisamos nos preocupar primeiro? Com o que eu posso te ajudar?” Se a criança estiver com medo, pergunte do que, peça para ela desenhar, para ela falar sobre seu medo. Falar sobre o medo transforma-o em algo concreto e isso ajuda a eliminar a ansiedade.  Pergunte a ela: “me diga a pior coisa que pode acontecer” e então fale como vocês podem resolver o pior caso. Também ajuda quando você pergunta: “se o seu medo tivesse uma cor, qual seria?” Para distrair uma criança rapidamente, a melhor coisa é começar a contar, vocês podem contar objetos,

  • Eu poderia te falar para colocar uma música animada para tocar, acordar cedo todos os dias e tomar um banho frio, falar frases positivas ao acordar, assistir palestras no TED, fazer exercícios físicos e ter uma alimentação saudável. Tudo isso iria animar seu corpo e te motivar sim, mas quero ir para a raiz da questão, falar de coisas que se você não tiver nada disso irá adiantar. Se você colocar em prática essas três coisas, acredito que irá sentir-se motivado: Tenha um propósito na vida Geralmente o seu propósito está ligado ao que você mais gosta de fazer na vida, não vale comer e dormir, pois assim você não saiu das necessidades básicas. É preciso querer se destacar dos 7 bilhões de pessoas que existem no planeta e realmente querer brilhar. As oportunidades até caem do céu as vezes, mas é preciso colocar a mão na massa e se dedicar para conquistar o sucesso em qualquer área que você desejar. Todos querem ser feliz, reconhecidos, admirados, mas poucos se dedicam para que isso aconteça. Acrescente valor á sua vida!!! Saia do papel de vítima e seja responsável pelo seu destino. Talvez existam coisas que você precisa passar para aprender algumas lições, eu acredito nisso, pois vejo esse planeta como uma escola. Se você aceitar e aprender com as coisas aparentemente ruins que acontecem na sua vida, você não precisará passar por elas novamente. Mas se você resistir, reclamar ou culpar os outros, provavelmente coisas parecidas se repetirão. Isso acontece quando criamos alguns padrões negativos de pensamento como “nada dá certo para mim”, ou “eu mereço”, ou ainda “só falta acontecer (algo pior)”. Percebe como seus pensamentos estão esperando algo ruim? Olhe para 2015 e perceba qual a sua porcentagem de responsabilidade de cada coisa negativa que te aconteceu. Não pense sobre culpa, pense sobre responsabilidade. Tudo o que fazemos tem nem que seja 1% de nossa responsabilidade. Perceba se você escolheu baseado no medo. O medo só existe no seu pensamento a respeito do futuro. Olhe para as coisas e veja a verdade que elas têm. Se não consegue ver coisas positivas de por que algo aconteceu, é por que ainda está no papel de vitima. Organize-se Uma das grandes desculpas das pessoas para não fazerem algo é porque não tem tempo ou não tem dinheiro. Esses argumentos não passam de mentiras, escolhemos através de nossas prioridades. Então organize-se. Saiba exatamente quanto tempo e dinheiro precisará para realizar algo e separe isso em dias. Tenha metas semanais, mensais e anuais. As vezes o caminho parece longo e que não vamos conseguir, mas se dividir em etapas com certeza conseguirá. Veja o exemplo de pessoas que fizeram o caminho de Santiago a pé. Seu destino é uma questão de escolha,escolha ser feliz. Se tiver difícil sozinho, peça ajuda!

  • “Em todo adulto espreita uma criança – uma criança eterna, algo que está sempre vindo a ser, que nunca está completo, e que solicita, atenção e educação incessantes. Essa é a parte da personalidade humana que quer desenvolver-se e tornar-se completa” (Jung) Ontem, dia 03 de janeiro, iniciou a primeira temporada do programa The Voice Kids, e já começou em grande estilo, mostrando-se muito melhor do que a edição para adultos, pois além de cantores incrivelmente talentosos, ela conta com os ensinamentos de vida que crianças sempre passam naturalmente. O que mais chama atenção em Realitys com crianças são as reflexões que podemos fazer. É uma ótima oportunidade de nos perguntarmos: Quando foi que eu parei de me sentir o máximo? Podemos constatar no programa que as crianças sabem dos seus talentos, não tem dúvidas de que são boas, são autoconfiantes, autênticas, simpáticas, pois estão conectadas com a essência. Quando foi que nos desconectamos da nossa essência, do nosso verdadeiro Eu? Quando foi que perdemos a autenticidade, o entusiasmo, a alegria? Foi nesse momento que os adultos tornaram-se inseguros. “No estágio infantil da consciência, ainda não há problemas, nada depende do sujeito, porque a própria criança ainda depende inteiramente dos pais. É como se ainda não tivesse nascido inteiramente, mas se achasse mergulhada na atmosfera dos pais. O nascimento psíquico e, com ele, a diferenciação consciente em relação aos pais só ocorre na puberdade. Até este período, a vida psicológica do indivíduo é governada basicamente pelos instintos e por isto não conhece nenhum problema. Mesmo quando limitações externas se contrapõem aos impulsos subjetivos, estas restrições não provocam uma cisão interior do próprio indivíduo. Este se submete ou as evita, em total harmonia consigo próprio. Ele não conhece o estado de divisão interior, induzido pelos problemas.” (Jung) Crianças não pensam em problemas, e quando eles aparecem, elas resolvem instintivamente. É aí que está o motivo de adultos abafarem as qualidades que tinham na infância. Adultos pensam muito, acreditam que devem resolver tudo, e quando as coisas não acontecem como gostariam, ficam frustrados. É preciso aceitar os acontecimentos da vida e pensar que somos apenas Co-criadores da nossa vida. É preciso saber que nossos pensamentos têm um grande poder de influenciar nossa realidade. Existem pedras e presentes pelo caminho, qual você decide ver? As crianças confiam que tudo dará certo, isso é fé.    

  • Mais um ano que termina, mais um ciclo que começa e com 2016 vem toda a esperança de que esse ano será diferente, será maravilhoso. Mas será que não é assim todos os anos? Temos a sensação de que há uma mágica no Ano Novo. Pulamos sete ondas com o pé direito, comemos lentilha pra dar sorte, também uva ou romã e guardamos as sementes na carteira junto com as folhas de louro. Tomamos banho de mar ou de sal grosso para limpar tudo de negativo do ano que passou, usamos calcinha branca ou vermelha para atrair o que mais desejamos. E torcemos muito para que tudo isso dê resultados. E se não der, sempre teremos um ano novo para ter esperança novamente. Porém, se em 2016 você realmente quiser ter sucesso, vai precisar de um pouco mais do que superstições. Não bastam planos, é preciso planejamento. Não bastam sonhos, é preciso metas e não basta esperar, é preciso agir.   REALIZE SEUS SONHOS EM 4 PASSOS:   1 – Saber quais mudanças você quer ter na sua vida. É preciso ter seus objetivos bem claros. Nesse primeiro momento não pense em como vai consegui-los, pois você corre o risco de se boicotar com suas crenças limitantes. Pense apenas no que realmente você quer conquistar. Pode ser uma casa, um carro, um trabalho dos sonhos, uma viagem. Se tudo fosse possível, o que você gostaria de conquistar? 2 – Se perguntar: “Para que eu quero isso?” Você precisa de um propósito, um motivo bem convincente de porque será bom ter o que você deseja. Isso ajudará seu inconsciente trabalhar a seu favor. 3 – Lidar com a realidade: Se você deseja ter uma casa própria, é importante você saber exatamente o que precisa para que isso aconteça. Muita gente tem esse sonho, mas acredita que é tão difícil que não se permite olhar para a realidade. Esse é o grande boicote. Saiba exatamente como seria a casa ideal para você, qual o tamanho, quais os bairros possíveis e o valor aproximadamente de uma casa assim. Depois descubra quais as possibilidades de um financiamento, consórcio ou empréstimo. E também seja sincero com você mesmo, onde está indo o seu dinheiro? Muitas vezes deixamos de comprar o que realmente queremos para comprar alguma coisa que está em promoção e que não precisamos. 4 – E finalmente começar um plano estratégico: Com todas essas informações na mão: O que eu quero, para que eu quero isso, quais as possibilidades de eu conseguir isso. É hora de bolar o plano e seguir: como eu vou fazer para conquistar isso que eu quero. Defina os passos, descubra formas de ganhar mais dinheiro caso esse seja o impedimento, e mãos a obra!!!!   FOCO, DEDICAÇÃO E DISCIPLINA É O QUE VOCÊ PRECISA PARA CONQUISTAR TUDO O QUE DESEJA! Quanto mais planejado e estruturado mais fácil de alcançar suas metas. Se estiver difícil de trilhar esse caminho sozinho, peça ajuda. Seu futuro é uma questão de escolha e

  •   O choque – A pessoa terminou com você. De uma forma inesperada ou não, ninguém está realmente pronto para esse momento.  Seu coração dispara, você não sabe mais o que fazer da vida. A elaboração – Você só quer deitar e chorar. Todos os seus planos parecem sem importância. Os dias são mais longos e sem graça. Mas com todo esse sofrimento, essa fase é muito importante, então chore bastante. Isso pode durar uns dias ou algumas semanas, mas aos poucos tudo vai melhorando. Aprendendo com os erros. Todos que estão convivendo com você serão afetados e ficarão preocupadas até você melhorar. Mesmo que você saiba tudo que as pessoas podem falar, tente ouvir o que elas têm a te dizer. Alguns conselhos podem não ser bons e isso os acalmará, dará a sensação de que eles estão fazendo algo de bom por você. Não dramatize tanto – Por mais triste que você esteja, não se faça de vítima da situação. As vezes, isso foi o melhor que poderia ter te acontecido. Não é bom despertar pena nas pessoas. Quanto mais drama você fizer mais as pessoas sentirão pena de você. E quanto mais as pessoas sentirem pena de você, mais você se sentirá fracassada. Redes sociais jamais – Não sinta pena de você mesma, não poste frases de auto-ajuda, com pedidos de socorro. Isso é humilhante e terrível para a sua auto-estima. Também não olhe as redes sociais dele, a ultima coisa que você vai encontrar é uma frase dizendo “Que saudades da minha ex” e o mais provável que você encontre são fotos dele curtindo a vida adoidado. Isso também serve para o perfil dos amigos dele, pare de seguir eles, isso não fará bem, só vai causar crises de ansiedade. Autoconhecimento  – Agora é a hora de ser sua melhor companhia. Se você não se amar, porque alguém te amaria? Vá percebendo o que você gosta de fazer, de ouvir, de comer. Conheça seus gostos sem ele. Experimente um novo corte de cabelo, uma nova cor. Saia com alguns amigos, não beba, fique presente em cada momento, vá mudando sua rotina, experimentando novos caminhos, sabores, sensações. No seu ritmo, não tenha pressa de ficar bem logo, viva cada fase do luto. As coisas vão melhorar. Faça terapia – Isso vai ajudar você a superar, olhar as coisas com outro ponto de vista, se conhecer mais, saber porque isso aconteceu e principalmente se isso é um padrão que se repete. Espiritualize-se – Independente da sua religião, é bom você ter um caminho espiritual. Perceber que existe um algo mais na vida. Aprender sobre a existência, as leis da atração, do karma, da vida… Estude, aprenda, converse, tire dúvidas existenciais… Se abra  – Não crie crenças limitantes. Um pé na bunda é só isso, os homens não são todos iguais e isso não precisa se repetir. Conheça novas pessoas, tenha encontros, se divirta, não queira impressionar ninguém. Seja você mesma, mas só se você for legal, se você ainda estiver sentindo-se vítima, melhor repetir os passos acima antes

  • Por que a Coca-Cola é uma das marca mais famosas do mundo? Não é porque é a bebida mais gostosa ou a mais saudável ou a mais barata. É pelo simples fato de que eles não vendem o produto que fabricam. Eles vendem o que todas as pessoas querem: a felicidade. Vamos entender um pouco da história da Coca-Cola, ela foi inventada pelo farmacêutico John Pemberton em 1886 para ser usada como tônico vigorante do cérebro e para acalmar os nervos, por isso foi feita a partir de folhas de coca, grãos de noz-de-cola e álcool. Com a intensão de ganhar dinheiro, John iniciou uma série de experiências para descobrir o que ficaria bom misturado à água carbonada, foi aí que descobriu a Coca-Cola. O produto era um xarope com água carbonada, misturados na hora de servir. Em seu primeiro ano foi um fracasso em vendas, rendeu apenas 50 dólares. Pemberton vendeu a fórmula por 1.750 dólares. Ainda não dando lucro, a formula foi revendida para o empresário e farmacêutico Asa Griggs Candler  por 2.300 dólares, que começou a fazer a bebida ter sucesso. Como naquela época, não existiam muitos meios de comunicação, a ideia foi distribuir Coca-Cola de graça para as pessoas conhecerem o produto, há quem diga que havia viciantes nessa fase além da cafeína, mas nada foi provado. Também foram criados calendários e posters que serviam para os consumidores olharem e se lembrarem da Coca-Cola. Com o final da Primeira Guerra Mundial, houve a recessão que quase faliu a companhia. Então a segunda sacada de Marketing foi encomendar de uma série de quadros com a imagem do Papai Noel para uso em publicidade. A Coca-Cola é associada ao Natal porque o Natal é a época do ano que mais comove as pessoas. Nos reunimos com quem a gente ama, pensamos em fazer o bem aos outros, temos atos filantrópicos, desejamos Feliz Natal para todos, ficamos felizes em dar e receber presentes, em comer muito, em celebrar... as cidades ficam enfeitadas, há uma magia no inconsciente coletivo... Pessoas emocionais são mais fácil de manipular do que pessoas racionais. “A Coca-Cola contém um ingrediente que, em alta dosagem, é potencialmente cancerígeno - ao menos em ratos. A empresa informou que solicitou aos fabricantes do corante de caramelo que modificassem o processo de fabricação para evitar problemas - um deles seria a obrigação de que suas embalagens viessem com um alerta de risco de câncer. O corante possui sulfito de amônia (4-metilimizadol ou 4-MEI). Entretanto, a informação sobre o risco de câncer desse ingrediente ainda não consta nas embalagens” (FONTE: WIKIPEDIA) Porque alguém tomaria algo correndo o risco de ter câncer? Sem falar de todos os prejuízos à saúde que todos nós sabemos.  Porque as pessoas não pensam racionalmente. O senso comum não é a pratica comum. É por isso que há uma Psicologia por trás das vendas. A Coca-Cola é uma das empresas com a melhor publicidade do mundo. Ela lida com a fantasia das pessoas, vende felicidade, projeta

  • Nas ultimas semanas muito tem se falado de Dengue Chikungunya e Zika, que são as doenças causadas pelos mosquitos Aedes. Mas como de costume, nos preocupamos mais com o problema do que com a raiz do problema. Qual o problema? As doenças da Dengue Chikungunya e Zika. E o que causa esses problemas? A proliferação do mosquito Aedes. Como o mosquito se prolifera? Em os focos de acúmulo de água parada. E como a água se acumula e fica parada? Com o lixo que todas as pessoas guardam no quintal. E porque as pessoas guardam lixo no quintal? Bom, aí começamos a olhar realmente para a raiz do problema. E porque todas as pessoas fazem o que fazem? Porque elas querem ser feliz. A proliferação do mosquito só acontece por uma razão: o acumulo de coisas desnecessárias que não serão usadas, e que são apenas guardadas pelo medo de não ter no futuro. Vocês prestaram bem atenção nessa frase? Acumulo, inutilidade, medo… São palavras tão presentes na vida de todos, não é mesmo? O que faz nunca resolvermos esse problema é olhar apenas para fora e não para dentro. Quando é que eu estou acumulando coisas desnecessárias? Quando é que eu sinto medo de passar necessidades futuras e quero guardar tudo que tenho? Quando é que eu estou apegado a coisas e não consigo doar mesmo as que eu não uso? Quais lixos eu guardo dentro e fora de mim?  A maioria das pessoas tem essa necessidade de acumular lixo, e é por isso que não vamos combater a dengue, pois a dengue, a  chikungunya ou a zika não são o real problema. Definimos como lixo tudo aquilo que guardamos e que não nos tem utilidade alguma no momento. Precisamos aprender sobre as nossas reais necessidades. Para sermos felizes precisamos de pouco: ter saúde, ter comida, ter água, ter abrigo, ter afeto, ter uma função que nos faça sentir úteis e ter organização. Se tivermos isso estaremos felizes. O problema é que as vezes não temos afeto, nem amor próprio, ou não nos sentimos realmente úteis, reconhecidos, admirados, daí achamos que vamos suprir isso com coisas, então acumulamos coisas. Com o passar do tempo nós fomos criando necessidades ilusórias, até chegarmos ao ponto de nos vermos aprisionados a todas elas. Hoje podemos ter uma casa mobiliada e completa, mas com certeza, aqueles móveis e objetos não são responsáveis pela nossa felicidade. Se você pudesse fazer apenas uma escolha: ter saúde ou ter todos os seus bens materiais, qual escolheria? Compramos coisas para nos recompensar por frustrações da vida. Precisamos entender que ser feliz é estar onde você gostaria de estar, fazendo o que você gostaria de fazer, pois nesse momento ninguém vai se lembrar daquela poltrona, nem daquele quadro caro que enfeita nossa sala, muito menos daquela fritadeira que não usa óleo. Pode até sentir falta deles, mas não vai ficar mais triste por causa disso. Agora, faz sentido alguém guardar pneu velho, pote de margarina ou latas achando que um dia

  • - Qual é o seu sonho? - É ter uma casa bonita e confortável, ter bastante dinheiro para viver tranquilamente e não precisar mais trabalhar. - Esses são seus objetivos, mas qual é seu verdadeiro sonho? - Como assim? - Pelo que você viveria se dinheiro não fosse um problema? - Ah, eu iria viajar. - E depois que tivesse viajado o mundo todo? Depois de passar 3 anos viajando, o que você faria? - Eu não sei. E é assim com a maioria das pessoas... Elas podem passar uma vida inteira na ilusão sem conseguir acessar sua verdadeira missão. Acreditam que precisam de coisas para ser feliz. Reclamam quando as coisas saem diferente do que planejaram. Passam os dias sem estarem realmente presentes no que estão fazendo. E também não fazem nada pare realizar seus objetivos. Se alimentam sem consciência, falam o que não gostariam, aceitam sem refletir. E julgam os outros. Todos somos assim. É preciso consciência e força para sair dessa roda inconsciente. Mas mesmo com toda essa inconsciência humana, mesmo que o mundo esteja da forma que está, mesmo que tudo pareça errado. Quando continuamos a conversa e insistimos no sonho das pessoas, lá está a luz que todos nós temos. Ainda brilha, cada um do seu jeito, mas todos brilhantes. É como achar um diamante em uma mina, é mágico, perfeito. Todos os seres humanos nasceram para brilhar. E então a maioria me responde: - Eu iria ajudar as pessoas. E é esse o motivo de um Ser Humano existir, ajudar aos demais a serem livres, felizes, plenos. Sem crenças limitantes e pensamentos negativos. Ajudar aos demais a se tornarem Seres integrais, sábios e iluminados para que todos brilhem. Apoiar outras pessoas a realizarem sonhos é um dos maiores prazeres que uma pessoa pode sentir. E nós sabemos disso, pois nos emocionamos quando vemos uma história de superação e realização, imagine poder fazer parte disso? Seres humanos são amorosos, e quando não demonstram isso é porque estão machucados, sofrendo, ou não receberam o amor que gostariam. O verdadeiro sonho de todos é apoiar os outros para que todos vivam mais felizes. O resto são objetivos que podem facilmente ser conquistados. Se você não está feliz, experimente fazer alguém feliz. Uma pessoa desconhecida. Faça algo sem querer nada em troca. Doe seu tempo, seu talento, seu conhecimento. E também realize seus objetivos, sem desculpas, sem medos. Brilhe e faça os outros brilharem.

  • Todo mundo já deve ter ouvido em algum momento aquele conselho “seja você mesmo”, mas o que não nos falaram é a continuação que ele tem. “Seja você mesmo, mas só se você for legal”, e, no caso das mulheres, essa frase continua:“Seja você mesma, mas só se você for legal, inteligente, bonita, simpática, feminina, forte, guerreira, boa filha, boa mãe, boa esposa, boa profissional…” Caso contrário, não seja você mesma, seja um pouco diferente, seja melhor do que você é. Se fôssemos nós mesmos o tempo todo viveríamos sozinhos, principalmente se sua natureza é ser sincero, crítico, chato ou egoísta. Esse nosso lado que não é muito admirável é a nossa sombra, todos nós temos. Para Carl Jung, a Sombra representa aquilo que consideramos inferior, nosso pior lado, nossos defeitos. São as características negativas da nossa personalidade. Faz parte da nossa natureza, não podemos eliminá-la, pois a dualidade está presente em tudo nesse mundo. Então somos em parte bons e em parte maus. O que quer dizer que não podemos ser exatamente quem somos, temos que nos adaptar para viver em sociedade. O saudável é ter autoconhecimento, saber quais são nossas qualidades e quais são características da nossa sombra. Saber que estamos em movimento e em construção. Buscar mudanças positivas que nos tornem a nossa melhor versão, e não outro alguém diferente. O conselho “seja você mesmo” é válido se encarado como “não tente ser outra pessoa muito diferente de quem você já é”. COMO DESCOBRIR QUANDO O “SEJA VOCÊ MESMO” NÃO É UM BOM CONSELHO? Você já se sentiu inadequado? Com a roupa errada, com o sapato errado, com as pessoas erradas? Todos nós passamos por isso algumas vezes. Nesse momento, a pergunta que nos vem é: “Como eu posso me adequar?”. Claro que essa pergunta não vem de uma forma tão explícita, ela vem escondida no inconsciente, refletida em timidez, rebeldia, baixa autoestima, arrogância, crueldade, tristeza, raiva, mágoa… E até em excesso de animação ou bondade. De tantas formas que às vezes uma pessoa passa uma vida se sentindo inadequada, apresentando vários desses sintomas, sem conseguir entender. Nesse caso, o “seja você mesmo” não vai adiantar. É preciso achar uma forma de que o “seja você mesmo” te faça feliz.  Tem momentos em que não podemos simplesmente bater o pé falando “eu sou assim, quem quiser que me aceite do jeito que eu sou”.  As pessoas só gostam de pessoas agradáveis e que não as desafie nem as confronte e que não sejam totalmente sinceras. Pessoas que não apresentem ameaça. Talvez seja o caso de pensar em mudar alguns aspectos, se adaptar aos outros com quem você convive. É preciso pensar o quanto você quer agradar e o quanto você quer se agradar. Achar onde é esse equilíbrio. Assumir suas características se você gostar de quem você é. Se não estiver feliz com quem é ou não estiver tendo resultados bons, deve buscar ajuda para mudar. Ter humildade de perceber que do jeito que está não está

  • Autoconhecimento é a capacidade de saber quem realmente somos. Conhecer-nos tão bem a ponto de dizer, com certeza, quais são nossos pontos fortes e no que precisamos melhorar, entre outras coisas. E por que isso é tão importante? É simples, para ter uma vida mais saudável e com mais sucesso e felicidade. No final das contas, todos nós queremos ser feliz. E se existe um caminho para a felicidade, esse caminho é o autoconhecimento.   Quem se conhece bem, não se magoa quando recebe uma critica, não tem crises existenciais, não sente medo do desconhecido, não coloca a responsabilidade do próprio sucesso ou do fracasso nas mãos de outras pessoas. Define mais fácil o que quer, sabe dos dons que possui e não fica se comparando aos outros, vai lá e vive a própria vida, sem se preocupar muito com o que as pessoas podem pensar ou dizer a seu respeito. Mesmo que a gente se mantenha sempre em movimento, aprendendo, evoluindo ou regredindo. Mudando de opiniões de acordo com as nossas experiências. Mesmo não sendo a mesma pessoa de 10 anos atrás, nossa essência não muda. Nossa personalidade não muda. O que muda é nossa percepção e nossas ações. Por isso o autoconhecimento é possível e essencial para uma vida plena. Mas como adquirir autoconhecimento? De várias formas e mais fácil do que você imagina… Se observando.   Reflita sobre a vida, você pode descobrir coisas muito interessantes sobre você mesmo. Saia do piloto automático e comece a se perceber a cada instante. Viva no presente. O que você gosta de fazer? O que te dá prazer? O que te motiva? Ou o que te deprime? Qual o tipo de personalidade tem seus amigos? Todas essas perguntas tem a mesma raiz: com o que você se identifica. Identificação é tudo aquilo de que você gosta simplesmente por gostar.  Algo dentro de você “reconhece” aquilo e é por isso que você simplesmente gosta. A identificação pode estar ligada a algum traço da sua personalidade, a um sentimento, a uma memória… E é descobrindo qual é essa relação que você pode chegar a uma profunda e reveladora reflexão de autoconhecimento. E isso acontece não só com coisas positivas. Quando alguém fala algo de negativo sobre você, e você tem uma reação exagerada de raiva, mágoa ou tristeza, uma parte de você se identificou (concordou) com aquilo que foi dito. Se não fosse assim, você acharia que a pessoa é louca ou está inventando coisas absurdas a seu respeito e não se abalaria com isso. Fique tranquilo, a identificação não acontece de forma obvia e direta. Se você gosta do seriado Dexter não quer dizer necessariamente que você é psicopata e sádico. É preciso uma reflexão mais profunda, saber o que exatamente você gosta nas coisas, com o que se identifica, o que admira, qual a fantasia pessoal que cria. Sinta-se curioso sobre você. Se observe, esteja presente em suas decisões, e aos poucos você irá se apaixonando por você mesmo. Sim,

  • Em um mundo com tantas urgências, o que realmente é importante? Onde está sua atenção? Você lê muitos jornais, participa de muitos grupos de whatsapp, se interessa por vários assuntos, tem pressa pra ser feliz, bem sucedido e admirado? Mas o que você realmente quer? Nos preocupamos em estar conectados, atualizados, interessados. Temos pressa. Pressa para dar certo, pressa para ter sucesso, pressa só por estar com pressa. Estamos nos questionando sobre fast food, pois queremos uma vida mais saudável, menos cancerígena, com uma população com menores índices de obesidade. Nos revoltamos com o fast fashion, pois queremos uma moda mais sustentável e durável, sem trabalho escravo e exploração infantil. Mas por que ainda não falamos em parar de viver uma fast life? Até quando seremos acelerados? Quando as urgências vão diminuir? Se considerávamos o e-mail algo que nos fez acelerar, o que dizer do whatsapp? Não há mais tempo para refletir ou escrever de uma forma bonita, as respostas são rápidas, curtas e objetivas. É preciso desacelerar, identificar o que é realmente urgente. Sentir o que o corpo está pedindo, respeitar nosso tempo, viver cada fase sem pressa. Não siga o ritmo que o mundo te impõe, sinta suas reais necessidades. Não precisa provar para todos o quanto você é bem informado, não precisa assistir o que todos estão assistindo, não precisa falar sobre política só porque todos estão falando. Sinta suas reais necessidades, siga o fluxo que seu corpo pede. Nesse mundo ultramoderno, globalizado, antenado e acelerado as pessoas estão consumindo mais ansiolíticos e antidepressivos do que em qualquer outra época. Será que não estamos fazendo alguma coisa de errado? É preciso saber para onde se está indo, para onde se quer ir e principalmente, o que está sentindo. Respeite-se, desacelere-se, do que você realmente precisa agora?

  • Com a preguiça de um feriado chuvoso, me joguei no sofá e comecei a olhar fotos aleatórias no celular. Entre uma e outra, aquela me chamou a atenção. Refletia absolutamente tudo o que faz sentido pra mim. E com uma ingenuidade infantil senti que aquela vida era perfeita. Projetei todos os meus sonhos naquela moça que eu nem conhecia. Ela me pareceu tão familiar, senti que olhava em um espelho de “Erised”, um espelho que reflete não a imagem da pessoa, mas seu desejo mais profundo. Tudo fez sentido, estava lá tudo o que eu sempre quis. Ei universo, essas coisas eram pra mim. Quem é encarregado por essa parte de entrega de desejos? Aconteceu algum erro aí, quero fazer uma reclamação. Pois é… E quando seus sonhos se realizam na porta ao lado? E quando você vê alguém com a vida dos seus sonhos? Cada particularidade de tudo aquilo que você sonhou. Parece tão fácil ter autoconhecimento nesse momento. Você se identifica com cada detalhe, coisas que você nunca havia reparado em si mesma, estão lá. A forma de se vestir, de andar, de sorrir, de ser, o trabalho, os amigos, a casa. Tudo era exatamente igual ao meu sonho. Foi aí que eu percebi dois caminhos claros na minha frente, poderia seguir pelo caminho do bem, ou pelo caminho do mal. Um me levaria a minha realização e outro a minha derrota. Estava cara a cara com a admiração e a inveja. Então me lembrei de Oscar Wilde que falava que era fácil encontrar pessoas dispostas a se compadecer de nossas provações, mas difícil mesmo eram aquelas pessoas que se alegram sinceramente com nossos triunfos. Comecei a rir e me senti humana. Quando isso te acontecer não se engane, é apenas seu ego fazendo uma brincadeira com você. Aproveite essa ótima oportunidade para se inspirar e seguir seus sonhos de uma forma mais clara. Resista a qualquer drama que venha em seus pensamentos, não reclame da vida, siga em frente de uma forma mais consciente e concreta, afinal está tudo ali na sua cara. O que eu estava fazendo enquanto ela estava realizando os meus sonhos? Mas porque isso acontece? Isso é coisa do nosso inconsciente, cada um tem o que acha que merece. Estamos entre boicotes e sucessos. Tudo está em perfeita sincronia com nosso inconsciente. Funciona assim, temos desejos, mas temos medos, quem ganha? Quem for mais forte. A ferramenta principal é o autoconhecimento, saber o que queremos e saber o que pode nos atrapalhar. Então, enfrentamos nossos medos e bolamos um plano estratégico rumo ao nosso sonho. É mais fácil do que parece, temos muita ajuda pelo caminho, só precisamos saber reconhecer. Fiquei mais um tempo contemplando minhas realizações, na vida dela, olhava com gratidão pela oportunidade de ver tudo tão claro e possível. Então levantei do sofá e fui realizar meus sonhos.

Receba GRATUITAMENTE a minha Newsletter para te inspirar a ter uma vida consciente!

Junte-se a várias pessoas para receber dicas exclusivas direto da Luiza