• Atualmente, no mundo, mais de 800 mil pessoas cometem suicídio a cada ano, mais de 2 mil pessoas decidem parar de viver, por dia, e no Brasil, mais de 30 pessoas se matam a cada dia, dados da Organização Mundial da Saúde. O suicídio é uma das formas mais comuns de morrer, mas é uma realidade pouco falada. Porque as pessoas cometem suicídio? Geralmente é porque sentem medo. Medo de não ser amado, de não ser aceito, de ser julgado, de não corresponder às expectativas dos pais ou da sociedade, medo de morrer, medo de sofrer. O medo é o pior sentimento de todos, pois ele não existe no presente, somente no futuro. O medo é uma fantasia que criamos e que na maioria das vezes não acontece. A campanha do Setembro amarelo foi criada há 3 anos para conscientizar as pessoas de falarem sobre o suicídio e ajudar a quem pensa em se matar. Em 90% dos casos em que as pessoas pensam em suicídio, a morte pode ser evitada, é por isso que se deve sim falar sobre o assunto e saber que os psicólogos são os profissionais mais preparados para ajudar um suicida em potencial. Porque nem todos podem ajudar uma pessoa que pensa em suicídio? Os psicólogos conseguem prevenir cerca de 90% dos suicídios, enquanto as pessoas que não estudaram psicologia conseguem prevenir apenas 30% dos suicídios. Mesmo tendo muitas pessoas com boa vontade em ajudar quem está em risco de suicídio, as pessoas que pensam em tirar a própria vida estão muito sensíveis e vulneráveis e não precisam de alguém julgando seus atos ou mostrando o lado bom da vida. Pessoas sem preparação para lidar com essa situação podem colocam seus próprios valores e julgamentos sobre a vida e as situações que o outro está vivendo e isso é perigoso. Pessoas que querem ajudar são sempre bem vindas, mas é preciso saber o limite de um conselho e uma ajuda profissional. Como um Psicólogo pode ajudar? O papel do psicólogo é traduzir os sintomas que as pessoas apresentam, as situações que vivem e os pensamentos que têm. O profissional ajuda a elaborar os problemas e a dar um novo significado ao sofrimento. O psicólogo te ajuda a ver todos os lados de uma situação, elaborar dores do passado e planejar um bom futuro. Nós sabemos que ninguém que se suicida quer morrer, as pessoas querem matar o sofrimento, por isso é tão importante a ajuda de um profissional. A morte não é a melhor saída. Quais são os sintomas de alguém que pensa em cometer suicídio? A pessoa falará sobre suicídio com alguém próximo. Pode apresentar depressão, mas não necessariamente. Pode apresentar esquizofrenia, mas não necessariamente. Uso abusivo de drogas. Casos de abuso sexual infantil e/ou na adolescência que não foram tratados. Receber o diagnostico de uma doença grave. Pessoas que não são aceitas pela sociedade, sofrem Bullying, que não se sentem amadas. Adolescentes que sofrem uma grande frustração nos estudos ou em relacionamentos. Qual

  • "Lemonade" é um álbum visceral. Uma mistura de desordem mental, mágoa, revolta, crise conjugal e indiretas. O desabafo da cantora mais famosa do mundo em um momento delicado de sua vida. Em todas as músicas ela aborda o desespero de um coração partido, desonestidade, infidelidade e submissão. “Nothing else ever seems to hurt, Like the smile on your face When it's only in my memory It don't hit me quite the same Maybe it's a cause for concern But I'm not at ease Keeping my head to the curb” (Pray You Catch Me – Beyoncé) “Nada mais parece machucar Tanto quanto o sorriso em seu rosto Quando está apenas na minha memória Não me atinge da mesma maneira Talvez seja motivo de preocupação Mas eu não estou tranquila Pensando apenas no fim” (Tradução: Pray You Catch Me – Beyoncé) Sabe quando estamos em um relacionamento amando sozinha?! Sofremos tanto que nada mais parece machucar e o outro sem sentir nada do que estamos sentindo? “Pray You Catch Me”, a primeira música do álbum, pode também ser interpretada como o primeiro estágio do luto, a negação. A segunda música, "Hold Up", é um desabafo sobre descobrir uma traição pouco encoberta. Parece um discurso solitário no banheiro quando temos certeza da infidelidade. “Something don't feel right Because it ain't right Especially comin' up after midnight I smell your secret, and I'm not too perfect To ever feel this worthless How did it come down to this? Going through your call list I don't wanna lose my pride, but I'ma fuck me up a bitch Know that I kept it sexy, and know I kept it fun There's something that I'm missing Maybe my head for one” (Hold Up – Beyoncé) “Algo não parece certo Pois não está certo Especialmente quando chega depois da meia-noite Sinto o cheiro do seu segredo, e não sou perfeita o bastante Para me sentir tão desvalorizada Como foi que chegamos aqui? Olhando a sua lista de chamadas Não quero perder orgulho, mas vou acabar com a vadia Fica tranquilo, continuo sexy, e saiba que continuo divertida Mas há algo faltando Talvez seja a minha sanidade” (Tradução: Hold Up – Beyoncé) A terceira musica vem com toda a carga de uma mulher amargurada e com muita raiva. Elaborando a segunda fase do luto: a raiva. Who the fuck do you think I am? You ain't married to no average bitch boy You can watch my fat ass twist boy As I bounce to the next dick boy And keep your money, I got my own Get a bigger smile on my face, being alone” (Don't Hurt Yourself - Beyoncé) “Quem diabos você acha que eu sou? Você não está casado com uma vadia qualquer, garoto Você pode assistir minha bunda enorme rebolar, garoto Enquanto eu rebolo para o próximo pau, garoto E fique com seu dinheiro, eu tenho o meu próprio Tenho um sorriso ainda maior em meu rosto sozinha” (Tradução: Don't Hurt Yourself - Beyoncé) Não sei o

  • Um ano depois da aventura que viveu com Marlin e Nemo, Dory começa a ter sonhos fragmentados e flashbacks de sua vida, desde a infância com seus pais. O gatilho para essas memórias voltarem, foi a palestra do Sr. Ray sobre a migração, em que animais marinhos usam o instinto de voltar para casa. A partir disso Dory tem uma súbita vontade de encontrar seus pais, lembrando apenas vagamente que viviam na "Jewel of Morro Bay, California”. Os três partem novamente para uma aventura em busca dos pais da Dory e começamos a perceber a sequencia de acontecimentos, bons e ruins que são a razão pela qual tudo dá certo. “Tudo o que nos acontece é o melhor que poderia nos acontecer”. Acreditando nisso, os mais espiritualizados, sentem uma fé inabalável de que há um propósito para a vida de cada um de nós, e que tudo o que desejarmos verdadeiramente, acontecerá. Jung descreve isso com o conceito de sincronicidade: acontecimentos que se relacionam não por relação causal e sim por relação de significado. É a experiência de ocorrerem eventos que coincidem de uma maneira que seja significativa para a pessoa. A história segue com vários acontecimentos ruins, mas que foram necessários para que ela chegasse ao seu objetivo. Assim como acontece na nossa vida, coisas ruins tem uma razão para acontecer. Dory vive no momento presente, e isso é uma grande lição da espiritualidade. Ela vive de acordo com o fluxo da vida, sem muito planejamento ou preocupação. Diferente da maioria das pessoas que vivem ansiosas com medo do futuro, ou depressivas, lamentando o passado. Fazendo escolhas a partir do medo e tendo resultados frustrantes. Dory vive confiando que conseguirá alcançar seus objetivos. Nós usamos experiências do passado para avaliar e decidir nossas escolhas. A Dory não se lembra do passado, então todas suas escolhas são baseadas em sua intuição. A intenção permite a sincronicidade acontecer, em qualquer assunto. Às vezes pensamos em alguém e encontramos essa pessoa sem sair da nossa rotina. O estado interno determina a qualidade da sincronicidade, se você está positivo, com pensamentos e atitudes positivas, coisas positivas acontecerão, mas se seus pensamentos estão negativos, sempre esperando o pior, coisas ruins acontecerão. Então a lição mais valiosa que a Dory nos passa é que quando vivemos de uma forma positiva, com uma intenção bem clara, agindo através da nossa intuição e não do medo, a sincronicidade acontece e somos levados a encontrar o que desejamos. Outros personagens que nos ensinam sobre espiritualidade são: Hank, um polvo mal-humorado que após viver um trauma, prefere se isolar. Essa atitudes é muito comum em pessoas sensíveis, que depois de uma decepção tornam-se difíceis de conviver e preferem se isolar, pois sentem medo de serem feridas novamente. Hank deseja a tag de Dory, para ser enviado à um aquário em Cleveland e viver sozinho para sempre. Com isso percebemos que nós não sabemos o que é o melhor para a gente e que se decidirmos a partir do medo, as chances

  • CONTÉM SPOILER!!! Quanto mais esperado é um filme, maiores são as chances de ser um fracasso... Assim foi com Alice através do espelho. Um filme com um elenco brilhante, um produtor como Tim Burton, efeitos especiais muito bons, mas um enredo fraco. Nos primeiros minutos de filme já ficamos na dúvida se uma continuação era mesmo necessária. Tanto o primeiro filme quanto o segundo, têm como tema principal a coragem. Alice aceita grandes desafios e ela conquista tudo que se propõe a fazer. Uma das coisa boas do filme, além dos efeitos especiais. Em “Alice através do espelho” inevitavelmente percebemos a semelhança com a atual situação do Brasil. O País das Maravilhas é o Brasil, um lugar onde todos querem ir, em busca de diversão, aventura, lugares lindos e insanidade. Tudo parece maravilhoso até que percebemos que as pessoas que vivem lá sempre esperam que um herói as salve de seus problemas, porque elas mesmas não fazem nada pra melhorar. Alice está de volta a Londres depois de uma longa viagem pela China. Agora ela é capitã do navio de seu pai, seguiu os passos dele e realizou seu sonho. Mas ao chegar em casa se deparou com inúmeros problemas. Tantos que resolveu se refugiar novamente no País das Maravilhas e lá foi ela seguir a borboleta azul. Alice sai de seus problemas e começa a querer resolver os problemas dos outros. O Chapeleiro Maluco está terrivelmente deprimido. Ele acredita que sua família ainda está viva, mas ao invés de ir procurá-los, ele prefere ficar em casa deprimido. Acreditando que encontrar a família do Chapeleiro é a única forma de ele voltar a ser feliz, Alice sai em uma missão para voltar no tempo e salvar a família de seu amigo. Então ela chega ao palácio do Tempo e rouba a Chronosfera, um objeto que alimenta o tempo de todo o País das Maravilhas e que sem esse objeto, no lugar certo, tudo corre terrível perigo de ser destruído. Mesmo sabendo do perigo que causará a todas as pessoas ela rouba. O roubo é justificado por ser a única forma de viajar no tempo e salvar a vida da família de seu amigo. Alguma semelhança com o governo brasileiro? O problema do Brasil é a cultura. São as crenças e a mentalidade de cada uma das pessoas que vivem no País. É a forma com que os brasileiros escolhem viver a própria vida e construir uma sociedade. O problema é tudo aquilo que aceitamos e chamamos de “jeitinho brasileiro” mesmo sabendo que é errado. O problema é agir sempre como a Alice, pensar nos seus ao invés de pensar no todo. Nos países mais desenvolvidos o senso de justiça e responsabilidade é mais importante do que qualquer indivíduo. Há uma consciência social onde o todo é mais importante do que o bem-estar de um só. É por isso que países assim são desenvolvidos. Alice é solidária, se sacrifica e faz de tudo por seus amigos e, por isso, não parece

  • Semana passada, viralizou na internet uma foto de duas crianças vestindo uma grande camiseta. Depois de aturar muita briga entre seus filhos, na tentativa de apaziguar a situação, pais criaram a “Camiseta da união” com os dizeres: Brigou tem que usar, pedir desculpas, dar abraço no outro e falar “te amo”. E esse é um dos motivos de existirem tantos adultos hipócritas. Todo Ser Humano sente raiva de alguém em algum momento da vida e isso é normal. Não somos obrigados a gostar dos outros, devemos sim respeitar todas as pessoas independente do que façam ou pensem. Mas sentir raiva é natural. Raiva é como alegria, tristeza, excitação, mágoa… É um sentimento humano e natural. Mas muito reprimido. Desde a nossa infância aprendemos que não devemos sentir raiva e muito menos demonstrar a raiva porque é feio. Então não aprendemos a entender e elaborar a raiva, e sim a engolir e fingir que não a sentimos. É preciso ensinar as crianças a identificarem seus sentimentos e a lidarem com todos eles de forma saudável. Obrigar alguém a ter determinado comportamento não faz com que a pessoa mude o que pensa ou que mude de atitude no futuro. Hoje vemos muitos adultos com dificuldade de relacionamentos, de dizer “não”, de desagradar, que preferem fingir que não têm sentimentos negativos, que não perceberam o que está acontecendo ou que não viram a pessoa com quem tem algum conflito. Preferem qualquer fingimento a resolver a questão de forma saudável e prática com o outro, por que não aprenderam a fazer isso. Ao forçar uma criança a fazer as pazes quando ela está com raiva, ou a identificar a raiva como ruim, não estamos as ajudando. É preciso ensiná-las a vivenciar e conhecer seus sentimentos, a dar vazão à raiva de uma forma saudável sem violência. O contrário disso é atrapalhar o desenvolvimento do autoconhecimento e elaboração dos próprios sentimentos. Crianças sentem raiva porque são humanas, todos nós sentimos e é preciso aprender a lidar com esse sentimento desde a infância. Após uma briga, a reconciliação deve acontecer sim, mas no momento em que a raiva tenha passado. No momento em que se tenha entendido o motivo de ter sentido raiva e percebido que não deveria ter agido com descontrole ou violência. Depois que as crianças têm consciência do que aconteceu então virá uma vontade de reconciliação e essa será a hora de conversar, abraçar e dizer que ama. As crianças são os seres humanos mais conectados com a própria essência, todas as crianças são boas e querem o bem dos outros, exceto as que sofrem. Isso também acontece com os adultos, todo ser humano é naturalmente bom e quer bem ao próximo, mas a maioria dos adultos não sabe lidar com seus sentimentos por isso ficam agressivos, maldosos e evitam ver ou falar com a pessoa que lhes causou dor, ou então querem se vingar com a ilusão de que isso mudará a própria realidade. E tudo isso acontece porque na infância ninguém

  • O dia dos namorados já passou, mas se você ainda quiser achar um amor ou cultivar o que você já tem, da uma olhada nessas dicas: Admiração – Um dos pilares que sustenta o relacionamento é a admiração, junto com o respeito e a confiança. É preciso admirar alguém para amá-lo. Ciúmes não é necessário - Não caia naquela de que uma pitada de ciúmes é bom porque não é. O ciúme nada mais é do que escancarar para o mundo o quanto você é inseguro e incoerente. Se para você a fidelidade é importante então não tem porque você querer ficar com uma pessoa que você acredita não ser fiel certo? Brigar com alguém para que essa pessoa seja fiel também não faz sentido. Você confia ou não em alguém. Alguém é confiável ou não. Deixe as suas inseguranças para tratar com seu terapeuta. Individualidade – quando estamos apaixonados queremos passar o máximo de tempo com a pessoa amada, mas é muito importante manter nossa individualidade, sair com nossos amigos e continuar fazendo coisas que fazíamos quando estávamos solteiros, sempre com bom senso é claro. Projetos pessoais – a admiração é um dos pilares do amor e para manter-se admirável e com a sua autoestima alta, e também para não sobrecarregar o outro, é necessário que você continue a ter seus próprios sonhos projetos e objetivos e também que você os conquiste, dessa forma você se sentirá realizado e será uma pessoa interessante e admirada por quem te conhece e será uma honra estar ao seu lado. Projetos juntos – mesmo que seja necessário ter projetos pessoais, esses projetos precisam combinar, ou seja, se o seu sonho é ser rica e famosa e você realmente se dedica pra isso, mas o seu parceiro não gosta de sair, de ter amigos e não tem controle financeiro, infelizmente seu sonho será prejudicado. É preciso comunicação clara nesse momento e fazer projetos juntos para que um apoie o sonho do outro. Além de projetos dos dois como, comprar uma casa, fazer uma viagem ou qualquer coisa que precise da dedicação de ambos para acontecer. Reconhecimento verbalizado – todo ser humano precisa ser amado, aceito e reconhecido para ser feliz, e é tão bom quando esse reconhecimento vem da pessoa que a gente ama. Então não basta admirar seu amor, é preciso falar os pontos positivos que você admira e os comportamentos que você gosta de ver nele(a). Uma pitada de romantismo – nem todo casal é romântico e isso não é nenhum problema, mas todo mundo gosta de carinho e demonstração de afeto. Os dois tem que ceder – quando se está em um relacionamento não se vive mais sozinho e isso parece óbvio, mas se o casal briga muito, provavelmente é porque alguém não quer ceder e insiste em ficar abraçado em seu orgulho. O orgulho nunca serve para nada e eu desafio alguém a me dizer um benefício dele. Então deixe seu orgulho de lado e escolha ser feliz ao

  • Psicólogos têm que ler bastante e por isso eu selecionei os meus 20 livros de desenvolvimento humano preferidos e estou passando essa lista para vocês. Se você quiser se aprofundar, poderá baixar meu Ebook, gratuitamente, em que faço um pequeno resumo de todos eles. Nesse E-book contém ideias extraídas de livros motivacionais que incentivam as pessoas a pensarem além de seu ponto de vista, ampliando suas percepções, o que ajuda a transformar suas vidas. É possível mudar sua vida a partir de mudanças em seus pensamentos e hábitos. Não importa quão desafiante esteja sua vida hoje, sempre é possível mudar a realidade, pois o real é apenas um ponto de vista. OS LIVROS: A ARTE DA FELICIDADE - DALAI-LAMA E HOWARD C. CUTLER DESPERTE O GIGANTE INTERIOR - ANTHONY ROBBINS O PODER DO AGORA - ECKHART TOLLER TENHA MEDO... E SIGA EM FRENTE - SUSAN JEFFERS AS 7 LEIS ESPIRITUAIS DO SUCESSO - DEEPAK CHOPRA FLOW  - A PSICOLOGIA DA FELICIDADE - MIHALY CSIKSZENTMIHALYI LIMITE ZERO - JOE VITALE O PODER DO MITO - JOSEPH CAMPBELL MULHERES QUE CORREM COM OS LOBOS - CLARISSA P. ESTÉS O PEQUENO PRÍNCIPE - ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY A ARTE DA GUERRA - SUN TZU O CÓDIGO DO SER - JAMES HILLMAN SEGREDOS DE UMA MENTE MILIONÁRIA - T. HARV EKER EM BUSCA DO SENTIDO - VIKTOR FRANKL VOCÊ PODE CURAR SUA VIDA - LOUISE HAY O EFEITO SOMBRA - DEEPAK CHOPRA UM CURSO EM MILAGRES -  HELEN SCHUCMAN E WILLIAM THETFORD QUEM ME ROUBOU DE MIM - PE. FÁBIO DE MELO AUTOLIDERANÇA - SURYAVAN SOLAR ANSIEDADE - AUGUSTO CURY   BAIXE GRATUITAMENTE SEU E-BOOK CLICANDO AQUI   

  • Ainda falaremos desse assunto por muito tempo. Por todas as mulheres que foram violentadas, por todas que apanharam, por todas que foram humilhadas, por todas que sentem-se obrigadas a fazerem sexo, mesmo sem vontade com seus maridos, por todas que sentiram culpa por ser mulher, por todas que são obrigadas a ouvir cantadas, por todas que sentem-se desconfortáveis quando percebem um homem olhando fixamente com cara de louco faminto, por todas que ouvem opiniões preconceituosas sobre suas escolhas, por todas que estão chocadas com a história de Beatriz. Todos acompanharam o crime lastimável que aconteceu essa semana e fez com que muitas mulheres se unissem e sofressem o luto de uma menina.  Milhares de mulheres entraram nessa luta pela liberdade das mulheres, para que possamos Ser sem medo. Contra toda e qualquer forma de violência. Muitos pontos precisam ser analisados desse fato. Infelizmente algumas pessoas ainda falam que a moça estuprada por trinta homens era garota de programa, fazia sexo grupal com frequência, era safada, era amiga dos bandidos, usava roupas curtas, era favelada, dançava funk... Isso me fez lembrar das avós, das tias, das mães, das vizinhas, das várias mulheres que nos ensinaram a nos comportar, a nos vestir de modo recatado, a ter modos, a não rir tanto perto de um homem, a nos dar ao respeito, a não usar roupas curtas e decotadas, a não provocar, a evitar lugares promíscuos como baladas, a tantas regras, e se fizéssemos algo diferente dessas regras então alguma coisa terrível poderia acontecer e a culpa seria nossa, isso é a cultura do estupro. Mas ninguém disse que os nossos atos devem ser baseados nos nossos valores e não no comportamento dos outros. Não é porque uma moça está dançando funk com um vestido curto que ela pode ou merece ser estuprada. Os homens deveriam ter os comportamentos baseados em seus próprios valores independente de como uma moça se apresente. Sendo ou não verdade o que aconteceu com Beatriz, não podemos negar que isso acontece com várias mulheres no mundo inteiro. E isso é grave. A culpa nunca é da vitima e nada justifica um ato de crueldade como esse. Talvez você pense, “mas eu nunca faria isso”, então reflita: quando alguém te trata mal você trata mal essa pessoa também?  Se sim, então seu comportamento não está baseado nos seus valores e sim no comportamento dos outros e no seu orgulho. Assim como os estupradores. Claro que nas diferentes proporções. Sabe aquela frase: “minha atitude depende da sua”? Pois é, ela está errada. Minha atitude depende dos meus valores. O que eu quero dizer é que a raiz de todos os problemas que vemos no mundo, e reclamamos, está em todos nós. Na nossa falta de consciência, na nossa falta de controle emocional. O que aconteceu semana passada resultou em um grande alarme. Nossa sociedade precisa de atenção. Todos nós somos responsáveis por isso, precisamos mudar como pensamos e agimos. Precisamos mudar na raiz. Esse ato foi de profunda inconsciência em seu nível mais absoluto. A raiz do problema é

  • Para mudar seus resultados é preciso mudar seus hábitos. É preciso ter uma disciplina diária com o propósito correto. É nas pequenas coisas que fazemos todos os dias que construímos nosso futuro e o nosso caráter. Para ter resultados diferentes é preciso agir diferente. E é sempre bom buscar ser uma pessoa melhor em todos os aspectos. A vida é uma grande oportunidade de amadurecer a alma, então vamos começar a praticar!!!!! OBSERVAÇÃO – precisamos olhar mais as coisas que nos aparecem no momento presente, parar de viver no passado ou no futuro. O agora que é o presente que recebemos a cada instante.  Quando as coisas parecem não ir bem, pode ser apenas um ponto de vista equivocado. Observe as várias faces de um problema que ele parecerá menor do que realmente é. Observe a natureza, as pessoas, as situações, os objetos. Observe tudo e aprenda mais. APRECIAÇÃO – Quando passamos a ficar mais atendo ao que nos rodeia, passamos a apreciar as coisas mais simples como uma árvore, ou uma for, o vento, as pessoas. Apreciar o mundo como uma obra de arte. GRATIDÃO – Quando estamos atentos, observando e apreciando as coisas, percebemos que precisamos de pouco para sermos felizes. O essencial é ter saúde, consciência e amor. Agradeça tudo de bom que você tem, que você passou, até o que parece ruim é uma oportunidade para crescimento e amadurecimento. CONSCIENTIZAÇÃO – a consciência é o grande segredo de uma vida plena. Quando se tem consciência sobre qualquer coisa, se tem um grande poder. Você passa a olhar o mundo com os olhos da verdade e tudo torna-se mais simples. Uma vida sem consciência está condenada a doenças e conflitos. DEDICAÇÃO – Quando temos consciência temos saúde, e quando temos saúde podemos conquistar o que quisermos, é preciso apenas de dedicação. Todo Ser humano tem uma capacidade infinita de criar, mas não são todos que têm vontade de se dedicar a isso. FOCO – dedicação sem foco é uma perda de tempo, precisamos saber onde queremos investir nosso tempo e energia. Quem tem um objetivo está protegido da tristeza, da preguiça e da mediocridade. REDUÇÃO – com consciência, foco e determinação, percebemos que precisamos de pouco para ser feliz e que objetos não trazem felicidade. É preciso comprar menos, comer menos e desperdiçar menos. CONVICÇÃO – já foi provado que a fé é capaz de operar milagres. Não somos autores da nossa vida, somos co-criadores, existe uma força maior que tira do total controle, pode ser chamada de Deus, acaso ou destino. Não importa no que você acredita, mas as crenças tem poder. COMUNICAÇÃO – o maior problema dos seres humanos é a comunicação e a interpretação equivocada. É preciso saber se comunicar. Sinceridade não é desculpa para grosseria. Seja o mais claro possível, pois você falar não é garantia que o outro vai te entender, certifique-se de que foi compreendido corretamente ou que a sua interpretação está correta. COMPAIXÃO – quando se desenvolve a compaixão você

  • Frida foi uma mulher muito interessante, e acima de tudo muito transparente. Deixou registrado em suas obras tudo o que sentia e o que vivia, não tinha a pretensão de ser uma grande artista, queria apenas desabafar. Teve muitos motivos para ser deprimida, revoltada, mas foi salva pela arte. O que prova que a felicidade não vem de fora. Ela via a beleza na tragédia. Tinha duas opções, deprimir-se e fugir da dor, ou encarar o sofrimento a ponto dele se tornar seu aliado e fonte de inspiração. E foi o que aconteceu, todo seu reconhecimento foi devido a uma vida de sofrimentos retratados em imagens. Quando criança, Frida contraiu Poliomielite, que deixou uma lesão em sua perna esquerda e a levou a ficar manca. Mais tarde sofreu um grave acidente de ônibus que deixou múltiplas fraturas e marcas por toda sua vida. Ela precisou fazer inúmeras cirurgias e ficar paralisada na cama por um longo período, foi aí que começou a pintar. Diziam que ela não era muito bonita e também tinha sequelas do acidente, ela poderia ter se escondido, acreditado que por conta disso não se casaria, ninguém a amaria, mas transformou sua deficiência em estilo e tornou-se única e sedutora. Ela não se preocupava com a opinião das outras pessoas sobre ela, era livre para fazer o que quisesse e assim viveu. Esse foi o seu legado mais importante, fazer o melhor que pode com o que a vida oferece, sendo autêntica. Se as pessoas vivessem mais livres seriam mais saudáveis. Mesmo sendo uma mulher conectada com a essência feminina, que transformava dor em arte, deficiência em beleza, e amargura em cores. Ainda assim, com toda essa força de superação e transformação, Frida se escondia em um estereótipo masculino. Buscava características masculinas quando estava em momentos críticos, cortava seu cabelo, usava ternos, bebia e fumava, desenvolveu um mecanismo de defesa para lidar com a dor emocional que para ela deu certo. Se de um lado ela era essa mulher avassaladora, exótica e revolucionária, de outro, era uma mulher submissa, vulnerável, sensível e apaixonada. Dizia que não achava fidelidade muito importante, mas ficava extremamente magoada quando descobria as infidelidades do marido e o perdoava em todas as situações, até mesmo quando foi traída com própria irmã. Se a vida de Frida fosse fácil, sem tragédias e com um casamento estável, provavelmente ela seria uma mulher comum com pequenas ambições, cheia de filhos e sem brilho. Foi a desgraça que a fez ser quem foi, que deu a chance de deixar esse legado e ser reconhecida mundialmente. Seu jeito de lidar com as intempéries que a vida lhe oferecia foi o que deu toda a beleza de sua história. Toda dor foi necessária. Apesar de sua obra ser considerada surrealista, para ela, era a total realidade expressada em figuras de si mesma, não se dedicou em divulgar sua arte, achava que apenas seu marido era artista e se escondia atrás dele, não lutou pela sua identidade, apenas pintava e

  • Aconteceu essa semana, de 16 a 24 de abril, a Fashion Revolution Week. Um movimento criado por um conselho global de líderes da indústria da moda sustentável e pessoas conscientes que se preocupam com a origem das roupas e também quem acredita na sustentabilidade da indústria da moda, quem valoriza as pessoas que trabalham em confecções e quem respeita o meio ambiente. A campanha surgiu depois do desabamento do edifício Rana Plaza em Bangladesh no dia 24 de abril de 2013, uma tragédia que fez o mundo ter mais consciência sobre as condições de trabalho de quem faz nossas roupas. O objetivo da campanha é aumentar a conscientização sobre o verdadeiro custo da moda e seu impacto em todas as fases do processo de produção até o consumo. O Fashion Revolution Day está se tornando uma campanha verdadeiramente global que adquire mais força a cada ano. Ainda bem que é assim, pois de outra forma, a tragédia de Bangladesh seria esquecida rapidamente como tantas outras. Infelizmente o Ser humano tem uma grande facilidade de não pensar sobre a origem das coisas, contanto que se sinta bem com o produto final. Busca muito o bem estar e pouco a consciência. O mundo consumista pede roupas cada vez mais populares, com preços cada vez menores e coleções novas cada vez mais frequentes. E de quem é a culpa de toda essa exploração? De pessoas com transtornos mentais graves como compulsão que não pensam em se tratar, apenas em comprar, e de quem tem sintomas leves como a eterna sensação de que não há nada no guarda-roupa. São pessoas sem consciência que causam os problemas do mundo. A moda é uma força a ser considerada, que inspira, provoca, conduz, cativa, é preciso ter consciência e levar esse poder para o bem.  Seguir o exemplo dessa campanha, que, simultaneamente em várias cidades, produzem palestras, seminários, debates, bazares e outras ações, com o objetivo de levantar o tema e trazê-lo para o centro da discussão em meio à revolução Fast Fashion. No dia 24 de abril, através de um ato simbólico, as pessoas vestem a roupa do avesso para expor a etiqueta, valorizar a costura da roupa e quem costurou e questionar… Quem fez minha roupa? De onde veio o tecido? Onde fica a fábrica? Quem está costurando? Quais são as condições de trabalho? Várias marcas famosas oferecem condições de trabalhos precárias, jornadas exaustivas, salários ridículos. É sempre bom estar atento com roupas que vem de Bangladesh, Camboja, Índia e muitos outros países em desenvolvimento, pois eles mantêm seus trabalhadores em condições desumanas. Para que? Para que a gente possa comprar mais uma roupa que não precisamos e que usaremos poucas vezes, mas que está com um preço ótimo. Outro fato que não se fala, é que para produzir tanta roupa é preciso de muito algodão. As plantações não produzem na mesma velocidade que a indústria pede. Por isso, novos produtos químicos e agrotóxicos cada vez mais fortes estão sendo usados nas plantações. Produtos tão

  • A frustração faz parte da vida de todos nós. As coisas não saem sempre da forma que planejamos, na verdade, na maioria das vezes precisamos redesenhar o plano inicial. Isso acontece porque a vida está sempre em movimento e tudo pode acontecer. A superproteção a que muitos pais submetem os filhos traz um impacto negativo no desenvolvimento das habilidades sociais deles. Quanto mais você faz pelo seu filho, menos ele aprende a fazer por ele mesmo. E ao perceber-se incapaz de fazer muitas coisas, pois nunca teve a oportunidade de treinar, acredita que não é útil, ou não consegue, e passa a repetir esse padrão até a vida adulta. Deixe seu filho conhecer seus próprios limites, saber até onde consegue ir, tentar fazer as coisas sozinho. Avalie a capacidade dele e cuide para que não se machuque, mas deixe-o tentar. Dê tarefas para ele como arrumar a cama, dobrar sua roupa, guardar seus brinquedos, essas atividades não oferecem nenhum perigo. Tente não dar sempre respostas prontas aos questionamentos das crianças, faça os pensar, instigue-os, responda com outras perguntas, pergunte a opinião deles. Deixe ele ficar frustrado e lidar com esse sentimento. Deixe ele fracassar em algumas tentativas. Dê a oportunidade de arcar com as consequências, limpar o que sujou. Prepare as crianças para o mundo real e não para o mundo que você desejaria viver. Crianças superprotegidas tendem a ter a autonomia e o desempenho prejudicados, pois não conseguem desenvolver o senso de confiança. Serão adultos que provavelmente terão dificuldade de se estabelecer no mundo, e apresentarão características fortes de dependência, sentimento de inferioridade, incompetência, vulnerabilidade e fracasso. Famílias superprotetoras, na tentativa de proteger a criança dos perigos do mundo, e facilitar a vida das crianças, não reforçam sua autonomia. Além disso, também vemos muitas famílias sendo permissivas no modelo educacional que seguem. As crianças que crescem em um ambiente permissivo tendem a ter dificuldades em seguir regras e normas, em respeitar os direitos dos outros e cumprir metas pessoais. Pais que têm dificuldades na aplicação de limites realistas promovem na criança um sentimento de merecimento, de grandiosidade, falta de autocontrole e de autodisciplina. Nesse caso, o futuro adulto terá como forte característica o egoísmo, que geralmente mascara um autoconceito fragilizado e uma imagem deturpada de si mesmo, característicos da baixa autoestima. As crianças querem ser aceitas e admiradas pelos pais. O adulto quer ser amado, aceito e reconhecido pela sociedade. Isso nunca muda. Quando uma criança percebe que consegue fazer algo e se sente útil, tem a mesma sensação que o adulto tem quando isso acontece. Isso aumenta a autoestima e a autoconfiança de todos nós. Mas o que vemos, são adultos que têm medo de sair da zona de conforto e por isso não conquistam muitas coisas ao longo da vida. As vezes os pais estabelecem uma relação de amor condicional, isto é, a criança apenas recebe afeto e atenção mediante a determinado comportamento. Isso causa uma necessidade de ganhar aprovação. Se os pais ressaltam que gostam do

  • Sinto muito, não existe formula pronta, mas não desanime, isso é possível!!!!!!! Todo Ser humano é ideal, mas de diferentes formas e isso está muito ligado a nossa cultura. O que aprendemos que é o ideal é que se torna ideal para a gente. Você é ideal para alguém! Mas tudo que é bom pode melhorar. Na nossa cultura temos padrões de pessoas ideais para se relacionar, mas isso não quer dizer que se você não for assim não achará um parceiro. O ideal é você se conhecer bem e buscar sempre melhorar, crescer e evoluir. Quando sua autoestima é boa todos querem ter você por perto. E fica mais fácil perceber quem mais combina com você. Quando falamos em ideais, temos um padrão na nossa cultura: um homem ideal é bem sucedido, tem um bom emprego antes dos 30 anos, tem vários seguidores nas redes sociais, pois é influente na área que atua, é de boa família, de preferência uma família espiritualizada. Tem boa aparência, pratica crossfit e tem uma alimentação exemplar. Para as mulheres isso tudo também se aplica e, além disso, ela tem que ser feminina, simpática, bonita e inteligente. Pessoas assim existem? Claro que sim. Como elas conseguem? Porque elas têm propósitos e buscam sempre melhorar. E se esse for o seu ideal de pessoa, não tem problema nenhum, até acho ótimo, pois quanto melhor nosso companheiro for, mais nos inspiraremos nele e melhor seremos. Busque alguém que te inspire a ser cada vez melhor! No relacionamento, ou vocês estão crescendo e se desenvolvendo, ou estão se boicotando. Um relacionamento estagnado, onde você percebe que não cresce como pessoa ou profissionalmente, é um boicote. Relacionamentos amorosos servem para que um ajude, apoie e inspire o outro. Em dupla chegamos mais longe, e isso é um relacionamento ideal. Quando uma pessoa tem várias qualidades, é muito fácil se inspirar nela e tornar-se a melhor versão de você mesmo, mas também é fácil de achar que não está a altura da pessoa, ter inveja ou ciúmes porque a pessoa brilha e é apreciada por todos, ou competir com a pessoa de uma forma destrutiva. Tome cuidado com isso. Percebeu que achar a pessoa ideal está mais ligado a visão que você tem de si mesmo, do que com realmente achar uma pessoa ideal? Quando você conhece todo o seu potencial, busca se tornar a melhor versão de você mesmo, você brilha, tem destaque, sente-se realizado, feliz consigo mesmo e é consequência você atrair várias pessoas que estejam na mesma sintonia que você. Quando você sente-se realizado não abre espaço para ciúmes, pois acredita que é a melhor opção que seu companheiro pode ter. E também não aceita menos do que alguém que você admira. Busque ser alguém mais inteligente, mais bem resolvido, sem crenças limitantes e traumas do passado. Se estiver difícil sozinho, faça terapia. Não deixe que seu passado atrapalhe um relacionamento futuro. Lide com coisas concretas, não perca tempo pensando no que o outro pode estar pensando, se tiver dúvidas pergunte para a

  • Ter um emprego é apenas uma, dentre as várias formas de ganhar dinheiro que existem. Se você está desempregado, foque em aprender ganhar dinheiro ao invés de focar em apenas arrumar um emprego. Quando se tem um emprego fixo, se tem segurança financeira de quanto dinheiro receberá todo mês, tem também a possibilidade de ter férias remuneradas, décimo terceiro, auxilio desemprego e várias outras regalias que podem acabar a qualquer momento. E também você está doando seu tempo para enriquecer outra pessoa, ou seja, doa sua vida para que outra pessoa ganhe dinheiro e desfrute. E o pior dessa realidade é que a maioria das pessoas que têm emprego fixo está infeliz nesse emprego, e quando perdem o emprego ficam desesperadas para arrumar um novo emprego que em pouco tempo vão detestar. Isso faz algum sentido? Ao invés de querer arrumar emprego você deveria estar aprendendo a ganhar dinheiro e a manter o dinheiro. Vamos às verdades da vida: uma pessoa tem um emprego, então ela ganha um tanto de dinheiro todo mês, com a maior parte desse dinheiro ela compra alimentos que não são saudáveis e objetos que não são essenciais, como várias roupas, cigarro, bolsas, sapatos, ou coisas do tipo. E faz dívidas. Então a pessoa gasta uma vida enriquecendo outra pessoa para poder comprar coisas que ela não precisa?! Acho que arrumar um emprego não é tão importante assim não é mesmo? Então vamos ao que faz sentido: Primeiro, saiba no que você é bom. Todo Ser Humano é bom em alguma coisa, se você não sabe no que é bom, descubra. Pergunte aos seus amigos, familiares, lembre por que te elogiam. Se você realmente não for bom em nada, infelizmente esse é o preço de uma vida cheia de preguiça, mas ainda há tempo, dedique-se a aprender alguma coisa e seja muito bom nisso. Ou viva com preguiça e arque com as consequências. Depois que identificou todas as coisas que você é bom, escolha a que as pessoas te pagariam para você fazer. Se você é bom em organização, desenvolva um método para ajudar as pessoas que não são, elas precisam de pessoas como você. Se você for bom na cozinha, invente pratos novos. Use a criatividade!!!! Ninguém é bom em tudo ou em nada, a ideia é que as pessoas se ajudem com suas expertises. Em terceiro lugar dedique-se ao máximo para que sua ideia dê certo. Estude, aprenda tudo o que puder sobre a área, a internet te ensina tudo o que você quiser aprender e de graça, não tem mais desculpas para ficar parado sem ganhar dinheiro. Quanto mais você se dedicar, melhor profissional será. E por ultimo, divulgue seu trabalho, quanto mais você divulgar, mais terá chances de alguém se interessar em comprar seu produto ou ideia. A diferença entre uma pessoa de sucesso e um fracassado é o quando essa pessoa está disposta a se dedicar! RESUMO: AUTOCONHECIMENTO DEFINIR SEU NICHO DEDICAÇÃO VENDER O PEIXE

  • 1 – É formado por 80% dos nossos processos mentais. E o consciente, que é composto de tudo que sabemos sobre todas as coisas, é apenas 20%. 2 – Freud sugere para considerarmos nossa mente como um iceberg. A parte submersa seria o inconsciente. 3 – Ele serve para guardar assuntos que não conseguimos elaborar no momento, pois nos traria grande sofrimento ou não temos maturidade suficiente para entender. Nele contém assuntos relacionados a medos, raivas, desejos, traumas, motivos para ações. 4 – O inconsciente influencia diretamente as experiências conscientes das pessoas. É através dele que tomamos todas as decisões para a nossa vida. 5 – Ele pode sabotar seu destino. Sua função é nos proteger de escolhas ruins, mas ele não é racional, portanto pode te proteger de ficar rico caso você tenha uma necessidade de segurança muito forte. 6 – O inconsciente é alógico, e por isso aberto a interpretações e contradições; atemporal e também não é espacial, ou seja, conteúdos pertencentes a épocas ou espaços diferentes se misturam. 7 - Algumas linhas religiosas acreditam que no inconsciente contém informações de toda nossa existência, incluindo vidas passadas.  8 – Só conseguimos acessá-lo através da arte, dos sonhos e da meditação. Os sonhos são vistos como expressão simbólica dos conteúdos inconscientes. Outra forma de observar o que pode conter no inconsciente é observar qual rumo está indo sua vida, quais são seus atos falhos e o que se passa em seus diálogos internos.  9 - Foi “descoberto” por Theodor Lipps por volta de 1880. Ao contrário do que muitos pensam, não foi Freud o primeiro a desenvolver os estudos sobre o inconsciente, ele aprendeu muito dessa teoria com o professor Theodor Lipps. 10 – Carl Jung propôs a ideia de Inconsciente coletivo, onde existem conteúdos para ajudar a humanidade de uma forma geral, herdado de nossos ancestrais. Como os arquétipos (personagens) e um contato direto com a natureza.

  • Quem você mais admira? Não vale falar família ou líderes religiosos. Para muitas pessoas, essa resposta pode ser difícil de encontrar, principalmente para as pessoas mais velhas que já viram e ouviram muitas coisas e estão um pouco mais descrentes do Ser humano. Quando a sombra de alguém aparece ficamos chocados, como se alguém pudesse ser livre dessa regra universal que é a dualidade. Todo Ser humano tem lado ruim. Uma pessoa só é boa até que possamos ouvir seus pensamentos, então aceite isso. Alcançar o poder e não ser dominado pelo Ego ou não ser consumido pela arrogância, enriquecer e não perder os valores, ser fiel às origens são qualidades difíceis e por isso louváveis e admiradas por todos. Nos identificamos com quem é assim, mesmo que não sejamos iguais. Precisamos entender que temos lado negativo, conhecer quais são esses traços da nossa personalidade e entender o motivo pelo qual existem. Com isso iremos parar de julgar os outros e focaremos mais em nos melhorar. Na ultima semana, Maria Sharapova uma linda tenista e muito talentosa foi pega no exame antidoping, uma atleta ambiciosa que até todos saberem, não achava que fazia algo de tão errado. E é assim com todos os erros que cometemos, até não serem descobertos, eles não parecem tão errados. E ela não foi a primeira e nem será a ultima a passar por isso. E quem é que pode julgar? Cometemos erros também. Muitos pais acreditam que o mau comportamento do filho é causado pela influencia de pessoas com comportamentos negativos, mas isso não é totalmente verdade. Eles já vieram com sua parcela de maldade, assim como todos nós. Estamos em uma época em que faltam-nos bons ídolos. Os famosos de hoje tornaram-se famosos por qualquer motivo menos por ter talento, talvez pelo belo corpo, pois os “nudes” estão em alta. E eles são, infelizmente, formadores de opinião. Pais, vocês irão se preocupar de qualquer jeito, o que podem fazer é criar uma boa base através de seus exemplos para que seus filhos tenham um bom caráter e não se deixem influenciar por qualquer coisa baixo padrão. E passem a se identificar e copiar comportamentos de pessoas realmente notáveis.

  • 1 – Aceite a realidade. Se vocês terminaram é por que tem algum motivo que faz vocês não darem certo juntos. Perceba se é um motivo real ou fantasia como o ciúmes. 2- Não se humilha. Se você levou um pé na bunda, aceita e parte pra outra. Não procure a pessoa, não entre nas redes sociais da pessoa, não queira saber da vida dela. 3 – Não devolva nada, nem o passaporte. Essa história de que vocês precisam se ver para devolver as coisas do outro é só uma desculpa para não aceitar o fim do relacionamento e tentar alguma coisa que pode ser humilhante. 4 – Aproveite o momento sozinho (a) para refletir sobre quem é você sem a influencia de ninguém. Fique um tempo sozinho sem procurar ninguém para namorar. 5 – Faça coisas sozinho (a) e perceba como se sente. Se você não gosta da sua companhia porque alguém tem que gostar? 6 – Saia com seus amigos, reveja antigos amigos, faça novos amigos. 7 – Leia livros, faça cursos de assuntos interessantes, assista palestras, aproveite para ser mais culto (a) e mais interessante. 8 – Procure a companhia de amigas mulheres, faça brigadeiro, assista filmes, faça uma festa do pijama, mesmo que você seja homem. 9 – Quando já estiver curado da dor do amor perdido… Faça uma lista de tudo que uma pessoa precisa ter para namorar com você, todas as características de que você gosta e admira em alguém. 10 – Mentalize essa nova pessoa chegando na sua vida e não aceite nada menos do que você merece.

  • Emocionante para quem consegue sentir empatia pela tragédia. Uma moça de 17 anos é sequestrada e mantida em cativeiro por oito anos, nesse período ela tem um filho com o sequestrador que a estupra regularmente. Chocante e infelizmente real. Apesar de não constar que o filme é baseado em fatos reais, fatos muito parecidos já foram noticiados pelo mundo todo. Abuso sexual atinge 1 em cada 10 mulheres no mundo. Dados reais, mas que infelizmente não pensamos ou falamos muito a respeito. O filme é comovente e nos faz pensar em como os Seres Humanos se comportam. Para que Jack não percebesse o que acontecia, Joy criou um mundo paralelo para eles viverem, o quarto era todo o planeta e o que aparecia na televisão era de outro planeta ou fantasia. Eles brincavam, riam, faziam exercícios, estudavam e liam livros, tudo sem nunca sair do quarto. Jack teve uma infância saudável e feliz enquanto estava no quarto porque não tinha necessidade de nada, ele tinha o principal que toda criança precisa, o amor da mãe dele. Depois que saiu do quarto ele desejava voltar para lá, pois era o mundo que conhecia. Não brincava com os brinquedos novos e sentia falta da rotina com a mãe. Para as crianças a única coisa que importa é o amor e como é na infância o momento em que mais estamos conectados com a nossa essência, para os adultos isso também se aplica. Se tivermos nossas necessidades básicas bem satisfeitas, precisamos apenas de amor. Todo o resto é ilusão criada para consumirmos cada vez mais. Nós somos capazes de nos acostumar a absolutamente tudo. Somos seres sensíveis e indefesos, submissos e ingênuos, somos facilmente manipulados e enganados. Conseguimos perceber isso quando ouvimos discursos de grandes líderes, nos emocionamos e somos convencidos pelas palavras e pelo tom de voz e não pensamos se o que ouvimos é a verdade ou se nos fará bem. Por isso políticos e pastores fazem aulas de oratória. O filme se divide em duas partes, dentro e fora do quarto, prisão e liberdade. Tudo o que Joy queria era sair do quarto e voltar para a família e quando isso acontece, ela não se vê feliz, entra em depressão profunda e tenta suicídio. Esse momento do filme representa as nossas fantasias de liberdade. Muitas vezes acreditamos que ao mudar de situação seremos mais felizes, ao sair de um casamento, da casa dos pais, de um emprego, ou qualquer situação em que nos sentimos presos, mas mudar de realidade não é garantia de felicidade. A fuga nem sempre é o melhor que podemos fazer. Claro que em casos de prisão física ou emocional, quando não temos escolha, o melhor que podemos fazer é tentar fugir. Mas na maioria das vezes, nós mesmos nos colocamos em prisões. Nós escolhemos não ser livres quando não pensamos sobre nossas escolhas. A única liberdade que existe é a consciência. Aprofundando um pouco mais, e levantando uma questão polêmica, podemos pensar nos motivos pelos quais

  • As crianças são reflexo do que acontece na família, são mais fortes do que pensamos, mas absorvem tudo o que se passa no ambiente. Crianças aprendem por imitação e não ouvindo lições dos pais, por isso se você quer educar bem um filho, dê a ele bons exemplos ao invés de falar como ele deve se comportar. A vida de uma criança é como a de um adulto, eles têm questões importantíssimas para tratar com o coleguinha da escola, têm inseguranças no primeiro dia de aula ou frente a algo inesperado, sentem ansiedade, medo, tristeza, raiva, culpa, mágoa, como qualquer adulto. E mesmo que para nós eles pareçam não ter nenhuma responsabilidade além da escola, para eles, o mundo é cheio de desafios. Nós nascemos livres, autênticos, felizes e cheios de energia, os acontecimentos da vida e o relacionamento com os pais nos tornam o que somos hoje: confusos, ansiosos, inseguros e com baixa autoestima, pelo menos é assim com a maioria das pessoas. Então como fazer para que uma criança não perca essas características maravilhosas infantis? Dê a ela um equilíbrio na vida e se não houver equilíbrio em casa então é hora de colocar um psicólogo na rotina dessa criança. Crianças precisam de regras porque o mundo dos adultos é cheio de regras. Mas não veja isso como uma coisa negativa, regras são essenciais na vida das pessoas, elas são a base da disciplina. E pessoas disciplinadas têm mais sucesso e são mais felizes. Para realizar um sonho precisamos ter foco e disciplina, para conquistar uma saúde excelente precisamos ter regras e disciplina. Para aqueles que não gostam de regras ou não são disciplinados eu pergunto: vocês estão 100% satisfeitos com os resultados que estão obtendo na vida? Outro momento que os pais devem procurar ajuda profissional para seus filhos é quando a criança tem uma grande quebra na rotina: separação dos pais, mudança de cidade, falecimento de alguém próximo à criança, até mesmo um animal de estimação. Ou também em situações em que a criança tem alguma distorção cognitiva, problemas de aprendizado,  algum transtorno mental ou síndrome, qualquer coisa que fuja da normalidade, julgamos como normalidade o que acontece com a maioria das pessoas para termos um parâmetro. É importante não rotular uma criança, pois eles têm uma capacidade de cura muito rápida, uma criança que aparentemente tem bipolaridade, se tratada de forma correta, logo não apresentará mais esse quadro. Por isso antes de iniciar qualquer tratamento com medicamento psiquiátrico em uma criança, tenha certeza de que nenhum outro tratamento deu resultado, até mesmo os holísticos. Crianças precisam brincar, isso faz parte da forma como eles aprendem e se desenvolvem, o corpo humano foi feito para se mexer e crianças têm muita energia, então é importante que elas estejam cansadas de tanto brincar no final do dia, caso contrário, será uma criança nervosa e agitada. Crianças não podem ficar sentadas horas jogando vídeo game, isso é ótimo para os pais e péssimo para elas, precisa ter equilíbrio

  • O filme é baseado na história de Joy Mangano, a mulher que criou a Mop Miracle: esfregões que não sujam as mãos e que podem ser lavados à maquina, práticos e seguros. A partir de uma necessidade ela criou uma solução. Eu particularmente não gosto dos filmes do diretor David O. Russell, e não foi diferente no filme Joy. É uma história muito interessante, com muito potencial contada de uma forma ruim com atores que não combinam com o papel. Joy é uma mulher com mais de 30 anos, divorciada, tem dois filhos e trabalha como balconista na empresa Eastern Airlines. Quando criança era muito inteligente e criativa, percebia as necessidades e criava produtos, isso se perdeu após o divórcio dos pais e a “ausência” da mãe. Dezessete anos depois ela se vê em uma vida difícil, pois toda a família depende emocionalmente dela. Em sua casa também mora sua mãe, sua avó, seu ex-marido e seu pai, além de seus filhos. Seu pai é um homem difícil que vive em em atrito com as pessoas. Sua mãe passa o dia todo deitada assistindo novelas como meio de fuga da realidade, deixando para Joy todo o trabalho da casa, além de criar problemas para Joy resolver. Uma pessoa com personalidade dependente, que se vitimiza e espera que os outros resolvam seus problemas. Apenas sua avó e sua melhor amiga, Jackie, a incentivam a correr atrás de seus sonhos e a se tornar uma mulher forte e bem sucedida. Seu pai começa a namorar Trudy, uma viúva rica com alguma experiência de negócios. Joy cria modelos de um esfregão auto-torcido, constrói um protótipo com a ajuda dos funcionários da loja de seu pai e convence Trudy a investir no produto. Depois de muitos desafios ela consegue realizar seu sonho. Joy sofreu com o divórcio dos pais, o que acontece com muitas pessoas. Nesse momento ela tinha dois caminhos: tomar as rédeas da família e de si mesma ou ficar triste e reclamar como a vida foi injusta e que "se os pais estivessem juntos ela seria melhor". Todos nós passamos por dificuldades e temos essas duas escolhas: reclamar ou resolver. O grupo das pessoas que apenas reclamam está condenado ao fracasso. E o grupo das pessoas que resolvem problemas está destinado ao sucesso.  É simples. Joy acreditou na sua ideia e a defendeu, não duvidou, não desanimou e não desistiu, isso fez com que ela alcançasse o sucesso. Uma passagem bem interessante no filme, uma das melhores partes, foi quando ela corta seu cabelo. Segundo os visagistas, o cabelo de uma mulher diz muito sobre ela e que os cabelos chanel deixam a mulher mais controladora e independente. Percebeu-se claramente um empoderamento depois que ela cortou os cabelos. O que podemos aprender com o filme: Você precisa ter um objetivo na sua vida. Você precisa acreditar completamente no potencial do seu produto. Nunca desista da sua ideia por mais difícil que seja realizá-la. Não tenha preguiça. Nunca é tarde para começar. Aprenda tudo o que puder

Receba GRATUITAMENTE a minha Newsletter para te inspirar a ter uma vida consciente!

Junte-se a várias pessoas para receber dicas exclusivas direto da Luiza