• Sonhar é um fenômeno natural para todas as pessoas,  mesmo que nem todos se lembrem do seu conteúdo. Esse assunto ainda é um mistério para a ciência, até o momento muito foi discutido, mas pouco concluído. O que pode se dizer é que os sonhos são resultados dos mesmos processos psicológicos que a imaginação, o sentimento e a memória. A psicologia analítica utiliza os sonhos como ferramenta de análise para compreensão do funcionamento psicológico do sujeito, pois este fornece informações a respeito do seu estado emocional atual. Tudo que é sonhado é conteúdo do inconsciente, pode ser a elaboração de algo difícil de lidar ou a compensação de um desejo, sonhar é uma forma de organização mental. Por meio da interpretação dos sonhos pode se entender sentimentos que se está vivenciando e que, nem sempre está consciente ou é aceito. O sonho é uma continuação das experiências que se tem quando se está acordado, porém, essa continuidade é apresentada de uma forma abstrata. A interpretação dos sonhos é subjetiva, para cada um uma imagem terá um significado. A interpretação que uma pessoa faz dos próprios sonhos é muito importante, pois essa interpretação revelará a forma como ela vê e se posiciona no mundo, o significado emocional que da aos fatos, como lida com seus sentimentos e o motivo pelo qual tem tais sentimentos. Por isso é um instrumento para que o indivíduo entenda as relações que tem com o mundo externo, com as pessoas, e se conheça melhor. A psicologia ajuda a descobrir a origem e função dos sonhos por meio de uma análise da história de vida e dos sentimentos. O terapeuta trabalha com o sonho a partir interpretação que o próprio sonhador faz do seu sonho correlacionado com as vivencias dele. É muito importante entender como a pessoa se enxerga nos conteúdos que sua mente produz durante o sono e assim entender o motivo de seus comportamentos. Os pesadelos são fruto dessa forma de ver o mundo, combinado com o estado emocional atual da pessoa. Para fazer uma interpretação inicial, sem ajuda especializada, é preciso se concentrar nos sentimentos que os sonhos lhe causam e perceber quando sente algo parecido, quais as situações da vida que lhe faz sentir da mesma forma, relacionar o conteúdo dos sonhos com conteúdos vivenciados. Pensar se caso não fosse um sonho, teria um sentimento parecido que teve ao sonhar? Preste mais atenção em seus sonhos para poder se conhecer melhor.  

  • Falar que alguém tem o temperamento forte, muitas vezes é tomado como um elogio confunde-se com personalidade forte, coisa bem diferente. Na verdade trata-se de uma crítica. Temperamento forte, geralmente é dito quando na verdade se quer dizer que uma pessoa é difícil de lidar, teimosa, orgulhosa, às vezes sem caráter. A maioria das pessoas que apresentam muitos problemas, sofrimento psicológico e emocional se encaixa no grupo das pessoas com temperamento muito forte, com alterações de humor também muito intensas. Pode ser chamado também de transtorno bipolar. Essa é uma disfunção psicológica muito antiga, mas muitas vezes os pacientes ficam sem tratamento por não ter um diagnóstico correto. A bipolaridade é um transtorno mental em que a pessoa não reage ao que acontece na vida de uma forma adequada, ela apresenta uma resposta desproporcional, tanto para tristeza quanto para alegria. Quando a pessoa apresenta alterações de humor bem marcadas fica fácil diagnosticar, mas quando a doença se apresenta de uma forma mais branda, é preciso um olhar profissional bem apurado para conseguir identificar o transtorno. Esta pessoa pode ser confundida com alguém com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, pois alguns sintomas são semelhantes: impulsividade, desatenção. Também pode ser confundida com depressão comum. Um diagnóstico errado faz com que a pessoa passe anos em tratamento que não surtirá efeito. Por isso é necessário entender o funcionamento da mente, considerar os sintomas, o comportamento, o histórico familiar, o ambiente e a genética. Saber o quanto foi herdado geneticamente e o quanto foi adquirido. Atualmente há um crescente uso de antidepressivos para qualquer queixa de tristeza, um médico de qualquer especialidade receita a medicação ou então são tomados por conta. Uma necessidade desesperada e inconsequente de alcançar a felicidade e o bem estar. Por Luiza Franco

  •   As mulheres cada vez mais buscam seu lugar no mundo, estamos passando de donas de casa dedicada ao lar e aos filhos, para empresária, empreendedora, líder de grandes equipes. A cada ano, nós mulheres, tentamos mostrar nosso valor, procuramos reconhecimento e equilíbrio para manter uma carreira e uma família bem estruturada. Depois que grandes empresas assimilaram os benefícios gerados na diversificação dos gêneros, e que a sensibilidade e delicadeza não são mais sinônimos de fraqueza, as mulheres não precisam mais desempenhar um modelo de gestão masculino para serem bem aceitas. Essa nova realidade, além de nos proporcionar orgulho, também nos dá a visão da importância de ser mulher, do poder de influência que temos para a estruturação de um mundo melhor. E por isso somos uma ferramenta que contribui para encontrar e despertar talentos nas pessoas que nos cercam. Inspirar e ajudar pessoas a serem e fazerem o seu melhor para o planeta, conscientizando-as da importância da preservação da natureza e utilização de recursos naturais de forma saudável para garantir uma sociedade mais sustentável. Toda mulher tem esse potencial, e para ser uma mulher integral, que dá conta de uma casa, um marido, filhos e de uma bela carreira profissional, devemos definir prioridades. É preciso saber dizer “não” ao que não estiver em foco. É necessário saber se conseguiremos realizar o que nos propusermos a fazer, caso contrário, estaremos apenas acumulando estresse. É indispensável ter equilíbrio em conciliar todas as áreas da vida: profissional, física, emocional, familiar, cultural e espiritual. Uma vida tão atarefada pode trazer alguns aborrecimentos que, quando mal resolvidos, fazem mal à saúde. Não devemos reprimir emoções, e, extravasar de uma forma errada pode trazer conflitos. A solução é o equilíbrio. Identificar o que incomoda, e tentar resolver com calma e com a cabeça tranquila. Entrar em discussões apenas quando não sentir raiva. Saber aceitar o que não tem solução ou achar uma nova alternativa. Outra dica fundamental é ter tempo para si, para relaxar e curtir nossos hobbies, isso ajudará a aumentar o rendimento e autoestima. Também é válido doar nossos talentos para trabalho voluntário, ter contato com a natureza, enfim, fazer o que gosta. Uma mulher feliz é a estrutura para uma família feliz, por isso é tão importante que as mulheres tomem para si um cuidado especial. É indispensável sermos fiéis a nossos sentimentos e ações, a incoerência entre o que pensamos, sentimos e como agimos, nos causa uma grande confusão mental. Quando somos congruentes, alinhamos o que pensamos e sentimos com nossas atitudes, estamos em equilíbrio e assim afastamos nossa insatisfação.

  •   Quando você trata uma pessoa com amor, não espere um amor reciproco. A maioria das pessoas estão presas na busca pelo reconhecimento, aprovação e aceitação. Se você ama uma pessoa e a aceita como ela é você interrompe essa busca e tira o sentido. Ela não aceita que foi aceita, ela precisa provar que consegue conquistar o amor de alguém e toda luta exige esforço para ser valorizada. E por isso ama quem a trata mal, e quanto pior, melhor. Assim a busca voltar a fazer sentido. E o sofrimento é a recompensa. O reforço intermitente, um pouco de atenção que vem, não se sabe quando, faz o vicio prevalecer sobre o amor. E então não era amor, era uma batalha do ego.    Luiza Franco

Receba GRATUITAMENTE a minha Newsletter para te inspirar a ter uma vida consciente!

Junte-se a várias pessoas para receber dicas exclusivas direto da Luiza