HOME  /   BLOG

Camiseta da união e a falta de elaboração de sentimentos negativos

Semana passada, viralizou na internet uma foto de duas crianças vestindo uma grande camiseta. Depois de aturar muita briga entre seus filhos, na tentativa de apaziguar a situação, pais criaram a “Camiseta da união” com os dizeres: Brigou tem que usar, pedir desculpas, dar abraço no outro e falar “te amo”.

E esse é um dos motivos de existirem tantos adultos hipócritas. Todo Ser Humano sente raiva de alguém em algum momento da vida e isso é normal. Não somos obrigados a gostar dos outros, devemos sim respeitar todas as pessoas independente do que façam ou pensem. Mas sentir raiva é natural.

Raiva é como alegria, tristeza, excitação, mágoa… É um sentimento humano e natural. Mas muito reprimido. Desde a nossa infância aprendemos que não devemos sentir raiva e muito menos demonstrar a raiva porque é feio. Então não aprendemos a entender e elaborar a raiva, e sim a engolir e fingir que não a sentimos.

É preciso ensinar as crianças a identificarem seus sentimentos e a lidarem com todos eles de forma saudável. Obrigar alguém a ter determinado comportamento não faz com que a pessoa mude o que pensa ou que mude de atitude no futuro.

Hoje vemos muitos adultos com dificuldade de relacionamentos, de dizer “não”, de desagradar, que preferem fingir que não têm sentimentos negativos, que não perceberam o que está acontecendo ou que não viram a pessoa com quem tem algum conflito. Preferem qualquer fingimento a resolver a questão de forma saudável e prática com o outro, por que não aprenderam a fazer isso.

Ao forçar uma criança a fazer as pazes quando ela está com raiva, ou a identificar a raiva como ruim, não estamos as ajudando. É preciso ensiná-las a vivenciar e conhecer seus sentimentos, a dar vazão à raiva de uma forma saudável sem violência. O contrário disso é atrapalhar o desenvolvimento do autoconhecimento e elaboração dos próprios sentimentos.

Crianças sentem raiva porque são humanas, todos nós sentimos e é preciso aprender a lidar com esse sentimento desde a infância.

Após uma briga, a reconciliação deve acontecer sim, mas no momento em que a raiva tenha passado. No momento em que se tenha entendido o motivo de ter sentido raiva e percebido que não deveria ter agido com descontrole ou violência. Depois que as crianças têm consciência do que aconteceu então virá uma vontade de reconciliação e essa será a hora de conversar, abraçar e dizer que ama.

As crianças são os seres humanos mais conectados com a própria essência, todas as crianças são boas e querem o bem dos outros, exceto as que sofrem. Isso também acontece com os adultos, todo ser humano é naturalmente bom e quer bem ao próximo, mas a maioria dos adultos não sabe lidar com seus sentimentos por isso ficam agressivos, maldosos e evitam ver ou falar com a pessoa que lhes causou dor, ou então querem se vingar com a ilusão de que isso mudará a própria realidade.

E tudo isso acontece porque na infância ninguém os ensinou a lidar com seus sentimentos negativos.

Vamos aceitar que falar que ama por ser obrigado a dizer isso não é amor. Abraçar com raiva por que alguém mandou, não é amor. Ficar do lado de alguém porque é obrigado, não é amor.

Mais consciência e menos hipocrisia.

Receba GRATUITAMENTE a minha Newsletter para te inspirar a ter uma vida consciente!

Junte-se a várias pessoas para receber dicas exclusivas direto da Luiza