HOME  /   BLOG

Dory e a sincronicidade

Um ano depois da aventura que viveu com Marlin e Nemo, Dory começa a ter sonhos fragmentados e flashbacks de sua vida, desde a infância com seus pais. O gatilho para essas memórias voltarem, foi a palestra do Sr. Ray sobre a migração, em que animais marinhos usam o instinto de voltar para casa. A partir disso Dory tem uma súbita vontade de encontrar seus pais, lembrando apenas vagamente que viviam na “Jewel of Morro Bay, California”.

Os três partem novamente para uma aventura em busca dos pais da Dory e começamos a perceber a sequencia de acontecimentos, bons e ruins que são a razão pela qual tudo dá certo.

“Tudo o que nos acontece é o melhor que poderia nos acontecer”. Acreditando nisso, os mais espiritualizados, sentem uma fé inabalável de que há um propósito para a vida de cada um de nós, e que tudo o que desejarmos verdadeiramente, acontecerá.

Jung descreve isso com o conceito de sincronicidade: acontecimentos que se relacionam não por relação causal e sim por relação de significado. É a experiência de ocorrerem eventos que coincidem de uma maneira que seja significativa para a pessoa.

A história segue com vários acontecimentos ruins, mas que foram necessários para que ela chegasse ao seu objetivo. Assim como acontece na nossa vida, coisas ruins tem uma razão para acontecer.

Dory vive no momento presente, e isso é uma grande lição da espiritualidade. Ela vive de acordo com o fluxo da vida, sem muito planejamento ou preocupação. Diferente da maioria das pessoas que vivem ansiosas com medo do futuro, ou depressivas, lamentando o passado. Fazendo escolhas a partir do medo e tendo resultados frustrantes. Dory vive confiando que conseguirá alcançar seus objetivos.

Nós usamos experiências do passado para avaliar e decidir nossas escolhas. A Dory não se lembra do passado, então todas suas escolhas são baseadas em sua intuição.

A intenção permite a sincronicidade acontecer, em qualquer assunto. Às vezes pensamos em alguém e encontramos essa pessoa sem sair da nossa rotina. O estado interno determina a qualidade da sincronicidade, se você está positivo, com pensamentos e atitudes positivas, coisas positivas acontecerão, mas se seus pensamentos estão negativos, sempre esperando o pior, coisas ruins acontecerão.

Então a lição mais valiosa que a Dory nos passa é que quando vivemos de uma forma positiva, com uma intenção bem clara, agindo através da nossa intuição e não do medo, a sincronicidade acontece e somos levados a encontrar o que desejamos.

Outros personagens que nos ensinam sobre espiritualidade são: Hank, um polvo mal-humorado que após viver um trauma, prefere se isolar. Essa atitudes é muito comum em pessoas sensíveis, que depois de uma decepção tornam-se difíceis de conviver e preferem se isolar, pois sentem medo de serem feridas novamente. Hank deseja a tag de Dory, para ser enviado à um aquário em Cleveland e viver sozinho para sempre. Com isso percebemos que nós não sabemos o que é o melhor para a gente e que se decidirmos a partir do medo, as chances de sofrimento aumentam. E Bailey, uma baleia beluga que não tem confiança em si mesmo e acredita ter perdido o sua capacidade de ecolocalização.

Precisamos deixar a vida acontecer sem tomarmos decisões baseadas no medo. Acreditar que todos nós temos um plano divino e que vivemos o que precisamos viver.

O QUE EU APENDI COM A DORY:

  • A vida é muito melhor quando temos atitudes positivas
  • Não levar nada para o lado pessoal
  • O que me acontece é o melhor que poderia acontecer
  • Tudo o que desejamos verdadeiramente se realiza
  • Amigos são a família que escolhemos
  • É sempre bom ser simpática com todas as pessoas

Receba GRATUITAMENTE a minha Newsletter para te inspirar a ter uma vida consciente!

Junte-se a várias pessoas para receber dicas exclusivas direto da Luiza