HOME  /   BLOG

Precisamos falar sobre o amor

Mais do que isso, precisamos falar sobre o que realmente é o amor e como é amar, pois as pessoas se esquecem desse conceito e as coisas parecem ficar um pouco confusas…

Amor é liberdade e respeito, é admiração e motivação é apoio e segurança. Amar é equilibrar essas emoções e trabalhar em si mesmo essas emoções também. É se autoconhecer, se autorespeitar e se automotivar. É se colocar em primeiro lugar sim, e saber que se você não fizer por você, ninguém tem a obrigação de fazer.

Se você está se sentindo carente, ame-se em primeiro lugar. Se estiver inseguro nesse relacionamento, sinta-se seguro com você mesmo, com seus sonhos e seus projetos. Não coloque sua vida na mão do outro e não aceite que ninguém coloque a vida em suas mãos, cada um é responsável pelo próprio desenvolvimento, podemos ajudar e ser ajudado, mas nunca delegar essa responsabilidade, pois isso e fugir de si mesmo.

Tudo que há em mim só pode ser transformado por mim, e tudo que há no outro só pode ser transformado por ele e se ele quiser. Ninguém muda ninguém e ninguém deve querer mudar ninguém, porque isso não é amor, é desrespeito.

Quando estamos em um relacionamento e queremos que o outro mude, a única coisa que podemos fazer é dizer ao outro como eu me sinto com as atitudes dele, se ele quiser então ele mudará. Não devemos obrigar essa mudança, muito menos brigar porque queríamos que o outro agisse diferente. Ele não agiu diferente porque não quis, é muito simples.

Não posso mudar o que vem de forma legítima do coração de outra pessoa por mais que isso me deixe triste. Não posso obrigar alguém a me amar mais, a me dar mais atenção ou a me tratar melhor se essa pessoa não fizer isso por vontade própria.

Há uma grande diferença entre acusar alguém de fazer algo que te machucou e dizer que se machucou com algo que alguém fez. Nos sentimos ofendidos a partir do nosso histórico de vida, podemos ter passado por tanto sofrimento que nos tornamos alguém muito sensível, e então interpretaremos de forma errada as atitudes do outro, como se tudo fosse pessoal. Precisamos avaliar qual foi a intensão do outro com aquela atitude e dizer que aquilo nos ofendeu. Pois acusar alguém de algo errado também é uma agressão.

Eu sou responsável pelos meus sentimentos, emoções, atitudes, pensamentos e palavras. Da mesma forma que escolho o que falo, devo escolher o que acolho. Não escolhemos o que ouvimos, mas escolhemos a forma de interpretar o que ouvimos.

Nossas atitudes não devem depender das atitudes das outras pessoas e sim dos meus valores. Não devemos reagir ao que nos acontece e sim entender porque acontece e então agir, não contra o outro, mas a nosso favor.

Quem ama deve buscar o amor, deve emanar amor e se o outro não corresponde é um problema do outro. Não podemos querer ter controle sobre a vida do outro, pois isso não é amor, é seu orgulho tentando te proteger.

“onde o amor impera, não há desejo de poder, e onde o poder predomina há falta de amor. Um é a sombra do outro.” Jung

O oposto do amor é o poder, pois quando queremos dominar o outro e impor alguma coisa ao outro não estamos aceitando quem ele é. Estamos tirando a liberdade de ser quem ele é. É uma grande agressão querer tirar a essência do outro, todos devemos ser livres. Quanto mais queremos dominar alguém, menos amamos essa pessoa. Poder é ego e não amor.

Receba GRATUITAMENTE a minha Newsletter para te inspirar a ter uma vida consciente!

Junte-se a várias pessoas para receber dicas exclusivas direto da Luiza