HOME  /   BLOG

Ser deprimido

Quero pedir licença para deixar um pouco de lado toda a teoria sobre a depressão e falar minha opinião sobre o deprimir-se.

Perder o interesse pela própria vida acaba não fazendo tanto sentido quando você pensa que a vida que você tem é resultado de todas as escolhas que você fez. Você teve participação ativa e constante em cada segundo dessas escolhas. Você estava lá, você poderia ter dito não, poderia ter feito diferente…

Agora, mesmo sabendo disso, você está longe de onde gostaria de estar, ainda da tempo de redesenhar sua vida. Mas, você quer? Prefere o conformismo doloroso ou está pronto para começar a agir? O sofrimento talvez esteja presente nos dois caminhos, mas apenas um deles te livrará do eterno sofrer.

Mas porque existe tanto sofrimento?

Acredito em dois tipos de pessoas deprimidas: uma tem a vida como gostaria de ter e mesmo assim sente-se muito triste. A outra tem vários problemas, está longe de ter uma vida que gostaria de ter e sente-se muito triste.

No primeiro caso, realmente pode ser algum problema fisiológico que necessita de medicação e tudo ficará bem. Ou há uma falta de autoconhecimento para saber que o perfeito é subjetivo e que o que parece uma vida ideal para um, pode não ser para todos.

A maioria das pessoas deprimidas estão sentindo pena de si mesma e culpando qualquer outra pessoa menos assumindo essa responsabilidade. E toda energia está sendo esgotada nisso.

Percebi, nesses anos de trabalho em clinica, que a maioria das pessoas que se dizem depressivas, estão presas em um emaranhado de problemas que não conseguem resolver. É claro que ninguém estaria feliz nessa situação. E ao invés de começar a resolver todas as questões das quais reclamam, preferem tomar medicação, ou ficar apenas reclamando.

Alguns se dizem doentes, tomam medicamentos, continuam com todos os problemas que já tinham porém tem novos sentimentos em relação a eles. Acham que estão bem, param de tomar medicação e acontece tudo novamente.

Eu proponho um desafio: e se você parasse de sentir pena de si mesmo e realmente resolvesse os seus problemas? Você teria coragem?

Você sabe o que quer para a sua vida? Você se conhece o suficiente para saber o que te faz e o que não te faz feliz?

Na minha opinião, a maior causa da depressão é a grande necessidade de ser amado, admirado e reconhecido. 

Pense nisso na próxima vez que estiver se sentindo deprimido.

Por Luiza Franco

 

Receba GRATUITAMENTE a minha Newsletter para te inspirar a ter uma vida consciente!

Junte-se a várias pessoas para receber dicas exclusivas direto da Luiza