E-BOOKS GRATUITOS:

  • 17Jan

    Acordar, pegar o celular e começar a escorregar o dedo pela tela, vendo uma coleção de vidas diferentes, informações variadas e a sensação de que você deveria saber mais, estudar mais, ler mais, se informar mais, viajar mais, treinar mais... Depois você prepara seu café da manhã ouvindo um podcast que lhe dá informações e pensa, “como eu não sabia disso antes?”. São novos livros que você ainda não havia lido, novas notícias que não sabia. Isso causa um leve desconforto e uma sensação de que está atrasado, que deveria estar fazendo mais coisas, que está pouco produtivo. Ao chegar no trabalho, seu colega lhe conta uma história que você não conhecia; você percebe que alguém colocou em prática uma ideia que você já teve, mas que ficou aprimorando. Mais uma vez a sensação de que os outros são melhores do que você. Atualmente as pessoas parecem bem mais informadas, inteligentes, bonitas, interessantes do que são e isso causa uma sensação de inadequação em quem acompanha suas vidas. Sentir isso todos os dias vai causando um grande mal, porém um mal paulatino, quase que desapercebido. É uma sensação sutil de que se está em falta. Uma admiração por quem parece

  • 08Oct

    Setembro acabou, mas ainda temos muito para falar sobre a prevenção do suicídio. A causa do suicídio é a sensação de sofrimento associada a sensação de desesperança, e quando não se vê outra saída para uma terrível situação, a morte parece uma boa opção.   O sofrimento nos aparece como um sentimento natural da vida humana causada por inúmeros fatores que provocam em uma grande insatisfação. Não há como por fim ao sofrimento, ele sempre estará presente como um fenômeno natural e global, mas é possível que cada pessoa entenda o que lhe causa sofrimento e consiga lidar com ele. O sofrimento aparece de inúmeras formas, ele está presente quando algo que julgamos ser errado acontece, quando há doenças, velhice, morte, separação, coexistência forçada, privação de necessidades, desconfortos, confrontações com situações desagradáveis... A natureza de todo sofrimento tem causas que podem ser identificadas e por isso podemos agir sobre elas, mas para que haja uma “cura” do sofrimento é preciso que a identificação seja correta, por isso é tão importante a ajuda de um Psicólogo.   Podemos olhar para o sofrimento de duas formas: uma delas é como algo imutável, inevitável, fora de controle, então não tem como escapar. Sendo

  • 07Sep

    Conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada ano mais de 800 mil pessoas cometem suicídio, o que corresponde a uma morte a cada 40 segundos. É importante lembrar que para cada suicídio existem muitas tentativas de suicídio. Mas será que essas pessoas realmente querem morrer? O suicídio é um problema de saúde pública que afeta todos os países, sendo a segunda maior causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos. É um fenômeno complexo que apresenta múltiplas causas. E pode ser feito de maneira planejada ou impulsiva. Dados mostram que entre 50 a 60% das pessoas que cometem suicídio nunca se consultaram com um psicólogo ou psiquiatra, mas 80% foram ao médico no mês anterior ao suicídio. Além disso, dois terços dessas pessoas comunicaram a parentes e amigos próximos que tinham a intenção de fazê-lo na semana anterior. O que demonstra um pedido silencioso de ajuda. Muitas pessoas, principalmente em momentos de crise, já pensaram que a morte poderia ser uma boa solução, posso dizer que a maioria das pessoas já pensou, pelo menos uma vez na vida, em suicídio como uma alternativa válida. O suicídio é um comportamento de fuga de um intenso sofrimento, não

  • 26Aug

    Diferente do que muita gente pensa, ter autoestima não é só gostar do seu reflexo no espelho, vai muito além disso. A autoestima é a opinião que você tem a respeito de si mesmo, é a avaliação positiva ou negativa que alguém faz sobre si. Um julgamento a partir das crenças que você desenvolveu ao longo da sua vida a respeito de si. Desde o nosso nascimento, nossa história e nossas relações determinam algumas condições para sermos estimados ou não. Os pais desde muito cedo começam a colocar condições para o amor: se nos comportamos direitinho somos amados, bem tratados e elogiados, se não, ficamos de castigo, isolados e muitas vezes sem entender o que está acontecendo. É só fazer o que os adultos mandam que seremos recompensados. É aí que começam os nossos problemas... Quando somos crianças, a percepção que temos de nós mesmos vem através do olhar dos outros, ouvimos e internalizamos cada opinião a nosso respeito, de todos, principalmente dos adultos, e vamos levando todas as opiniões como verdade, não importa muito o contexto em que ouvimos. Descobrimos com o tempo que somos gordos ou magros demais, bonitos ou feios, legais ou chatos, populares ou não e

  • 05Apr

    Segurança e liberdade são as duas coisas que mais queremos ter, mas não percebemos que esses dois conceitos não podem existir juntos.   Quer um emprego estável para ter segurança financeira, mas reclama do trabalho, dos colegas, do chefe, da vida. Está infeliz trabalhando “porque precisa” se colocando como vítima, com medo de não ter segurança, ao invés de arriscar ser autônomo e ter a liberdade de poder se ocupar com o que realmente gosta. Não percebe que a segurança de um emprego fixo é uma ilusão? Milhares de pessoas são demitidas todos os dias sem que estivessem esperando por isso. Quer um relacionamento monogâmico, com a segurança de uma família tradicional brasileira, com um marido ali pra chamar de seu ou uma esposa pra cuidar de você, mas traições acontecem aos montes, milhares de pessoas são infiéis e muitos casais já não se amam há muito tempo, mas permanecem juntos. O medo da mudança e a falsa necessidade de segurança faz com que as pessoas tenham uma vida infeliz, porém aparentemente segura. Para um relacionamento ser saudável é preciso deixar o outro livre, mas sentimos ciúmes e medo do abandono. Quem quer trair não quer ser traído, então como

  • 16Mar

    Não é porque jogam videogames violentos, não é por que assistem a filmes de ação e muito menos por causa da liberação do porte de arma que causaria uma facilidade em ter acesso a uma arma. Ninguém acorda, vê uma arma em cima da mesa e pensa, vou matar várias crianças hoje e depois vou me suicidar. Quem quer matar dá um jeito, não precisa de permissão nem de legalização de arma. Os jovens estão tão violentos por que todas as pessoas estão mais violentas e reprimindo essa violência. A violência é uma expressão trágica de uma necessidade não atendida, manifestada no comportamento. Todos nós somos violentos, em diferentes níveis, por que todos nós sentimos raiva e esse sentimento quando é reprimido e não elaborado vai explodir em surto. Já pensou, ou ouviu: “que vontade de dar um tiro no meio da cara dessa pessoa; fulano merece morrer; que vontade de matar...” então, aí está uma explicação de por que vemos tanta violência por aí. E o motivo pelo qual os jovens estão mais violentos é porque provavelmente não fortaleceram o caráter na infância e estão mais sensíveis. Tanto a violência externa (agressão) quanto a violência interna (autoflagelação, suicídio) são

  • 05Feb

    Eu te ajudo a sair do caos e você me ajuda a brilhar. Vamos juntos conquistar o universo? Eu preciso de você, versão de mim que me ensina e me completa. Sem você sou apenas eu, mas com você sou o melhor que posso ser. Me dá a mão e vamos juntos evoluir. Vamos juntos ser a nossa melhor versão. Eu prometo nunca parar de mudar, mas sempre tentarei mudar pra melhor e prometo nunca te deixar estacionar na vida, estou aqui para você evoluir. Vou te apoiar a ser quem você quiser ser e a realizar todos os seus sonhos. Eu te ajudo a me ajudar e você me ajuda a te ajudar. Por que o amor é isso. Vou perder o orgulho e me manter disposta a aprender com você, sem esperar que você cure as minhas feridas, e através de você quero me enxergar e ver o que eu tenho que curar. Nosso encontro foi destino e só nos resta aprender um com o outro e sermos quem quisermos ser, porque eu tenho certeza de que ao seu lado eu posso conquistar tudo o mundo. Por Luiza Franco

  • 29Jan

    Todos nós estamos constantemente em movimento, aprendendo e mudando, conhecendo gente nova, nos apaixonando, nos desiludindo, amando, fazendo amizades, desfazendo amizades, desfazendo namoros e casamentos, nos entregando a novos relacionamentos, vivendo e aprendendo. Constantemente aprendendo e aprendendo sobre nós. A única constante desse movimento é que esperamos demais do outro. A melhor forma de aprender sobre nós mesmos é perceber quais conteúdos nossos projetamos nas pessoas. Os relacionamentos entre as pessoas são 90% projeções, principalmente a paixão, essa é pura projeção, até porque nos apaixonamos sem conhecer totalmente a pessoa, muitas vezes nos primeiros dias de relacionamento. A melhor forma de viver um relacionamento é equilibrar o quanto você se preocupa com as necessidades do outro e quanto você se importa com as suas próprias necessidades. O quanto você espera que o outro lhe dê e o quanto você mesmo se supre, busca o autoconhecimento e faz para evoluir e se tornar um ser humano melhor. Preste atenção em quais sensações o outro te faz sentir, as boas e as ruis. Quais os pensamentos você tem na ausência do outro. Quais fantasias você cria quando não sabe o que o outro está fazendo. Tudo isso é projeção. Para a maioria

  • 17Jan

    Nem sempre é fácil finalizar algo que queremos continuar, mas que precisamos encerrar. Um relacionamento desgastado, um emprego sem possibilidade de crescimento, uma amizade com alguém que você já nem reconhece mais... A vida é assim mesmo, coisas começam e outras terminam e tem momentos em que só nos resta observar o fluxo da vida, para onde ela está nos levando e deixar a vida acontecer, sem interferir muito. Mas tem outros momentos em que é necessária nossa ação para que a mudança aconteça. É sábio quem consegue perceber essa diferença. Quando a vida te tira da zona de conforto e te impõe uma mudança, não resista, é pior. Aceita que nada dura para sempre e que a vida é impermanente. Tenho certeza que a maioria dos momentos de mudança que te apavoraram, depois que o susto passou, você percebeu que foi a melhor coisa que te aconteceu. Te transformou em alguém mais maduro e forte. Se isso não aconteceu é porque provavelmente você ainda deve estar lamentando a mudança. O sofrimento está na resistência às mudanças. Sofremos quando queremos uma coisa que não temos ou que não acontece. Sofremos quando damos mais importância para a falta do que para

  • 02Apr

    O jogador nº 1 é a mais nova obra de Steven Spielberg e podemos dizer que é tão fantástica como seus outros filmes. Trata-se de um futuro não tão distante em que as pessoas deixam de viver uma vida real para passar seus dias dentro de um jogo, vivendo uma realidade virtual, sendo um avatar/persona criada por elas. O que parece mais possível? Que as pessoas prefiram viver suas vidas cheias de problemas, dor, fracasso e frustração ou viver em fuga, passando seus dias distraídos em um jogo, sendo outra pessoa, alguém com a aparência que escolher e personalidade também escolhida com um apertar de botões, tendo várias conquistas e sentindo-se herói? A tendência natural do ser humano é reclamar e não resolver os problemas, então um jogo de realidade virtual será a salvação para os dias de tédio e a ruina de uma sociedade produtiva. Essa realidade já está aí, podemos ver que a ótima interação de homens com máquinas está se tornando cada vez mais essencial e vital para as pessoas. A partir da terceira revolução industrial, a chamada revolução digital ou do computador, vimos que é quase impossível alguém querer viver sem as facilidades de um smartphone.

FACEBOOK:

“O resultado de um bom trabalho desperta o potencial do ser humano para descobrir e criar uma vida valiosa, onde possa servir ao mundo e a humanidade através de suas escolhas e, ainda, encontrar sua autorrealização.”     (Luiza Franco)


INSTAGRAM

This error message is only visible to WordPress admins

Error: There is no connected account for the user 1161732 Feed will not update.

LEIA TAMBÉM:

SERVIÇOS

” Sua visão se tornará clara somente quando você olhar para dentro do seu coração. Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, acorda.”

Carl Jung

Os atendimentos são individuais e têm a finalidade de tratar dificuldades e traumas emocionais, comportamentais ou cognitivos.

É indicado para quem tem e quer resolver seus problemas e tornar-se alguém cada vez melhor. 

O momento ideal para iniciar a terapia é quando perceber que pode haver prejuízos em alguma área da sua vida, devido à questões internas mal resolvidas, que podem ser, emocionais ou comportamentais. 

Todas as pessoas podem e devem fazer terapia, pois trata-se de higiene emocional.​