• Segurança e liberdade são as duas coisas que mais queremos ter, mas não percebemos que esses dois conceitos não podem existir juntos.   Quer um emprego estável para ter segurança financeira, mas reclama do trabalho, dos colegas, do chefe, da vida. Está infeliz trabalhando “porque precisa” se colocando como vítima, com medo de não ter segurança, ao invés de arriscar ser autônomo e ter a liberdade de poder se ocupar com o que realmente gosta. Não percebe que a segurança de um emprego fixo é uma ilusão? Milhares de pessoas são demitidas todos os dias sem que estivessem esperando por isso. Quer um relacionamento monogâmico, com a segurança de uma família tradicional brasileira, com um marido ali pra chamar de seu ou uma esposa pra cuidar de você, mas traições acontecem aos montes, milhares de pessoas são infiéis e muitos casais já não se amam há muito tempo, mas permanecem juntos. O medo da mudança e a falsa necessidade de segurança faz com que as pessoas tenham uma vida infeliz, porém aparentemente segura. Para um relacionamento ser saudável é preciso deixar o outro livre, mas sentimos ciúmes e medo do abandono. Quem quer trair não quer ser traído, então como pode haver amor, parceria e cumplicidade desse jeito? Liberdade é risco, não há garantias em ser livre nem em deixar quem amamos ser livre. Segurança é tradicional, estável, tem falsas garantias que nos deixam confortáveis, mas não há liberdade na segurança. Não estamos preparados para sermos completamente livres, buscamos segurança instintivamente, assim como uma criança busca limites para se sentir segura. É um discurso bonito, mas pouco aplicado na prática. O número de pessoas ansiosas está aumentando porque temos medo de abrir mão da segurança para arriscar a liberdade, mas desejamos ser livres. É preciso apreender a ser livre antes de reivindicar essa tal liberdade. É preciso ter autoconhecimento e autoconfiança para essa transição ser possível.

  • Não é porque jogam videogames violentos, não é por que assistem a filmes de ação e muito menos por causa da liberação do porte de arma que causaria uma facilidade em ter acesso a uma arma. Ninguém acorda, vê uma arma em cima da mesa e pensa, vou matar várias crianças hoje e depois vou me suicidar. Quem quer matar dá um jeito, não precisa de permissão nem de legalização de arma. Os jovens estão tão violentos por que todas as pessoas estão mais violentas e reprimindo essa violência. A violência é uma expressão trágica de uma necessidade não atendida, manifestada no comportamento. Todos nós somos violentos, em diferentes níveis, por que todos nós sentimos raiva e esse sentimento quando é reprimido e não elaborado vai explodir em surto. Já pensou, ou ouviu: “que vontade de dar um tiro no meio da cara dessa pessoa; fulano merece morrer; que vontade de matar...” então, aí está uma explicação de por que vemos tanta violência por aí. E o motivo pelo qual os jovens estão mais violentos é porque provavelmente não fortaleceram o caráter na infância e estão mais sensíveis. Tanto a violência externa (agressão) quanto a violência interna (autoflagelação, suicídio) são comportamentos de pessoas que estão mentalmente desestruturadas ou que têm transtornos mentais. Muitos dos crimes de massacre são cometidos por pessoas psicóticas (ex: esquizofrenia) que acreditam em alguma, coisa que faz sentido só para elas, e que justificam suas atrocidades. Para entender a motivação de alguém para cometer os diferentes tipos de violência é preciso entender a motivação que está por trás, geralmente está ligada a autoimportâcia. É sobre a necessidade de se sentir importante e poderoso, todos nós temos isso, mas as pessoas saudáveis vão buscar essa compensação em situações da vida. Já quem não é saudável, busca sua autoafirmação em discussões políticas acaloradas em que considera seu ponto de vista mais importante do que o do outro. Em brigas de transito em que se julga injustiçado, ou qualquer outro comportamento violento cometido contra alguém. Resumindo, a violência aumentará cada vez mais porque as pessoas estão mentalmente doentes, não desenvolvem autoconhecimento, muito menos poder pessoal, e estão necessitadas de atenção.

  • Eu te ajudo a sair do caos e você me ajuda a brilhar. Vamos juntos conquistar o universo? Eu preciso de você, versão de mim que me ensina e me completa. Sem você sou apenas eu, mas com você sou o melhor que posso ser. Me dá a mão e vamos juntos evoluir. Vamos juntos ser a nossa melhor versão. Eu prometo nunca parar de mudar, mas sempre tentarei mudar pra melhor e prometo nunca te deixar estacionar na vida, estou aqui para você evoluir. Vou te apoiar a ser quem você quiser ser e a realizar todos os seus sonhos. Eu te ajudo a me ajudar e você me ajuda a te ajudar. Por que o amor é isso. Vou perder o orgulho e me manter disposta a aprender com você, sem esperar que você cure as minhas feridas, e através de você quero me enxergar e ver o que eu tenho que curar. Nosso encontro foi destino e só nos resta aprender um com o outro e sermos quem quisermos ser, porque eu tenho certeza de que ao seu lado eu posso conquistar tudo o mundo. Por Luiza Franco

  • Todos nós estamos constantemente em movimento, aprendendo e mudando, conhecendo gente nova, nos apaixonando, nos desiludindo, amando, fazendo amizades, desfazendo amizades, desfazendo namoros e casamentos, nos entregando a novos relacionamentos, vivendo e aprendendo. Constantemente aprendendo e aprendendo sobre nós. A única constante desse movimento é que esperamos demais do outro. A melhor forma de aprender sobre nós mesmos é perceber quais conteúdos nossos projetamos nas pessoas. Os relacionamentos entre as pessoas são 90% projeções, principalmente a paixão, essa é pura projeção, até porque nos apaixonamos sem conhecer totalmente a pessoa, muitas vezes nos primeiros dias de relacionamento. A melhor forma de viver um relacionamento é equilibrar o quanto você se preocupa com as necessidades do outro e quanto você se importa com as suas próprias necessidades. O quanto você espera que o outro lhe dê e o quanto você mesmo se supre, busca o autoconhecimento e faz para evoluir e se tornar um ser humano melhor. Preste atenção em quais sensações o outro te faz sentir, as boas e as ruis. Quais os pensamentos você tem na ausência do outro. Quais fantasias você cria quando não sabe o que o outro está fazendo. Tudo isso é projeção. Para a maioria das pessoas, os pensamentos mais recorrentes são negativos. Será que ele, ou ela, também gosta de mim? Será que está me iludindo, me enganando, será que me fará sofrer? Você já teve esses pensamentos? É nessa hora que devemos parar e perceber as projeções. As nossas necessidades projetadas no outro. Necessidade de atenção, de amor, de segurança, de carinho, afeto, compreensão, elogios, motivação. São as nossas carências projetadas no outro. Todos os relacionamentos precisam ser equilibrados, é claro que vamos esperar muitas coisas de quem amamos, é saudável o carinho e a preocupação com o outro, e queremos que ele se preocupe com a gente também. É natural que as emoções do parceiro nos afetem, estamos juntos em construção. Cada casal deve encontrar seu próprio jeito de se relacionar, um jeito que seja bom para os dois, buscando a parceria, o apoio e o amor no outro. Mas o segredo para um relacionamento feliz e saudável é cada um desenvolver autoconhecimento e tratar suas próprias feridas buscando apoio do outro para isso, e não buscando a cura no outro. É preciso aprender com os relacionamentos, quanto mais difícil é um relacionamento, os abusivos principalmente, mais eles te mostram o que você precisa aprender sobre si mesmo. Porque você atraiu um relacionamento assim? O que ele te ensina? Porque ainda está em um relacionamento tão ruim? O que te prende? Essas respostas irão te curar. A carência afetiva é uma dependência emocional, na qual buscamos no outro as nossas necessidades de amor e felicidade. Jogamos no outro a responsabilidade de nos fazer feliz, de cuidar de nós, de nos amar e de não nos ferir. Não vai dar certo jogar todas as nossas necessidades no outro e esperar que ele as resolva. Ele está tão necessitado quanto nós. Também não conseguiremos

  • Nem sempre é fácil finalizar algo que queremos continuar, mas que precisamos encerrar. Um relacionamento desgastado, um emprego sem possibilidade de crescimento, uma amizade com alguém que você já nem reconhece mais... A vida é assim mesmo, coisas começam e outras terminam e tem momentos em que só nos resta observar o fluxo da vida, para onde ela está nos levando e deixar a vida acontecer, sem interferir muito. Mas tem outros momentos em que é necessária nossa ação para que a mudança aconteça. É sábio quem consegue perceber essa diferença. Quando a vida te tira da zona de conforto e te impõe uma mudança, não resista, é pior. Aceita que nada dura para sempre e que a vida é impermanente. Tenho certeza que a maioria dos momentos de mudança que te apavoraram, depois que o susto passou, você percebeu que foi a melhor coisa que te aconteceu. Te transformou em alguém mais maduro e forte. Se isso não aconteceu é porque provavelmente você ainda deve estar lamentando a mudança. O sofrimento está na resistência às mudanças. Sofremos quando queremos uma coisa que não temos ou que não acontece. Sofremos quando damos mais importância para a falta do que para aquilo que temos. Sofremos quando fantasiamos outro cenário para a nossa vida, diferente do que está acontecendo. Sofremos quando aceitamos ficar em uma situação ruim porque estamos acostumados. Sofremos quando esperamos que o outro mude. Há momentos em que precisamos encerrar um ciclo, sabemos disso, mas temos medo de mudanças. Tem momentos em que a mudança vem sem avisar, esses são os mais fáceis. Seja qual for o momento que você esteja vivendo, pergunte-se essas 3 coisas: Estou feliz com a vida que tenho? O que eu poderia fazer para ter mais qualidade de vida e alegria? Como me vejo daqui a 5 anos? Tomar as rédeas da vida é às vezes fazer a mudança acontecer, outras vezes é aceitar as mudanças que a vida te impõe. Se quiser conversar mais sobre isso, clica aqui.

  • O jogador nº 1 é a mais nova obra de Steven Spielberg e podemos dizer que é tão fantástica como seus outros filmes. Trata-se de um futuro não tão distante em que as pessoas deixam de viver uma vida real para passar seus dias dentro de um jogo, vivendo uma realidade virtual, sendo um avatar/persona criada por elas. O que parece mais possível? Que as pessoas prefiram viver suas vidas cheias de problemas, dor, fracasso e frustração ou viver em fuga, passando seus dias distraídos em um jogo, sendo outra pessoa, alguém com a aparência que escolher e personalidade também escolhida com um apertar de botões, tendo várias conquistas e sentindo-se herói? A tendência natural do ser humano é reclamar e não resolver os problemas, então um jogo de realidade virtual será a salvação para os dias de tédio e a ruina de uma sociedade produtiva. Essa realidade já está aí, podemos ver que a ótima interação de homens com máquinas está se tornando cada vez mais essencial e vital para as pessoas. A partir da terceira revolução industrial, a chamada revolução digital ou do computador, vimos que é quase impossível alguém querer viver sem as facilidades de um smartphone. As possibilidades ilimitadas de bilhões de pessoas conectadas por dispositivos móveis deu origem a um acesso ao conhecimento sem precedentes, o que possibilita cada vez mais o desenvolvimento de outras coisas como a inteligência artificial, robótica, nanotecnologia, biotecnologia. Essa evolução está apenas começando e é a partir disso que percebemos a vinda de uma quarta revolução industrial. A primeira Revolução Industrial foi a partir da construção das ferrovias e pela invenção da máquina a vapor, dando início a produção mecânica. A segunda Revolução Industrial iniciou a partir da descoberta da eletricidade, isso possibilitou a produção em massa. A terceira Revolução Industrial foi impulsionada pelo desenvolvimento dos semicondutores, da computação e da internet. E agora, na virada do século, presenciamos a quarta revolução industrial que conta com uma internet mais poderosa e onipresente, sensores cada vez menores e mais potentes e pela inteligência artificial. As pessoas estão cada vez mais dependentes da tecnologia. Tenho certeza de que você conhece alguém que já está viciado em seu smartphone, ou em jogos eletrônicos e esse é o começo de todo o futuro esboçado no filme.

  • Amores vêm e vão. Namoros de anos podem acabar de uma hora para outra, podemos encontrar um novo amor virando uma esquina, ou perceber que você é a sua melhor companhia. Namoros acabam, casamentos acabam, amizades acabam... relacionamentos acabam, mas o nosso relacionamento conosco permanece para sempre. O amor próprio deveria ser o mais importante amor que você sente na sua vida, pois é através dele que você irá conquistar tudo o que quiser, inclusive o amor da sua vida. Mas antes de tudo é preciso entender a paixão. Entender por que amamos quem amamos, por que nos apaixonamos, e por que queremos o outro tão perto, tão junto. Queremos fundir, ser e pertencer ao outro. Alguém que mês passado não existia na nossa vida agora toma um espaço imenso nos nossos pensamentos. Como isso foi acontecer? Você projetou suas questões para aquela pessoa que se tornou apenas um espelho. Isso é a paixão, paixão é projeção. Nos apaixonamos por quem queremos ser, mas como não podemos ser, então queremos ter aquela pessoa, queremos nos tornar um com ela, fundir, tirar tudo dela e ao mesmo tempo dar tudo para ela. Uma confusão de emoções. E a pessoa torna-se uma das mais importantes da nossa vida. As paixões são encontros de autoconhecimento, só enxergamos nos outros o que temos em nós ou o que temos potencial para desenvolver, nos identificamos com aquela pessoa e não queremos mais ir embora daquele abraço. Quanto mais admiramos alguém mais nos apaixonamos e essa admiração é o que nos faz ficar, por isso que um relacionamento acaba quando acaba a admiração. Por isso é tão difícil terminar um relacionamento quando você ainda está amando, parece que um pedaço seu foi embora junto com ele. E se você está preocupado por não conseguir mais controlar sua paixão, o quanto antes perceber o que mais admira naquela pessoa, mais fácil será de assimilar o que está acontecendo e trazer seu pedaço de volta. Se inspire na sua paixão e seja o que você mais admira nela.

  • Pagando bem, a Globo coloca na novela que um dentista pode tranquilamente fazer uma cirurgia cardíaca e o povo vai pensar que sim. É isso que está acontecendo na novela “O outro lado do Paraíso” que foi contratada, por um valor absurdamente alto, para fazer propaganda da formação de Coaching e assim mais pessoas se interessarem pela formação. Quando seguimos o rastro do dinheiro, vemos que pouco importa o bem estar das pessoas, o que importa é o lucro. O problema é que na verdade poucas pessoas sabem qual é a função de um psicólogo, para que alguém estuda cinco anos Psicologia e depois mais dois anos de especialização. A bagunça é tão grande que há uma mistura de Coach com hipnose, mas ninguém fala em psicólogos. O termo (Coach) apareceu com a personagem Adriana (Julia Dalavia), advogada que se formou em coaching e pensou em usar o recurso da hipnose ericksoniana para ajudar uma cliente aparentemente desmemoriada, Duda – uma mulher que, ela descobriria depois, era na verdade a sua mãe. Cerca de duas semanas mais tarde, o IBC fechava negócio com a Globo para a inserção de uma ação de merchandising na trama. Desde que foi ao ar, na sexta-feira passada, o merchandising do instituto vem incomodando profissionais de saúde e até mesmo outras organizações de coach, porque, na cena, o coaching aparece como “tratamento” e acompanhado de hipnose. (Revista Veja 07/02/18) Qualquer pessoa pode se tornar Coach ao fazer um cursinho de final de semana, uma semana, ou para os mais dedicados um mês. Mas Coaching não é uma formação acadêmica, a pessoa não estuda tempo o suficiente para entender a mente humana. Salvo alguns com mais responsabilidade que começam a estudar por conta. O QUE É COACHING? Coaching é uma técnica de desenvolvimento humano que tem como objetivo o alcance de metas, seja de cunho profissional ou pessoal. No processo de Coaching são utilizadas técnicas e princípios de diversos campos do conhecimento. O trabalho do Coach consiste em aplicar técnicas e ferramentas em forma de perguntas assertivas, com foco no objetivo específico do cliente, que pode ser: mudança de carreira, uma promoção, finanças, emagrecimento e até mesmo questões materiais como a aquisição de um carro, uma casa ou uma viagem. (Site Ibccoaching) Ou seja, através de perguntas e técnicas um Coach te ajuda a chegar onde você quer, até porque isso não é nada difícil. Basicamente as perguntas são: O que você quer? Para que quer isso? O que precisa para chegar onde quer? Quem pode te ajudar? Quanto vai te custar? Em quanto tempo pretende realizar? Através de muitas ferramentas um Coach, ou qualquer pessoa, consegue ajudar a outra a realizar alguma coisa no estilo “vai lá e faz, você pode tudo”. Mas ninguém pergunta quais são as razões psicológicas que fazem uma pessoa não conseguir alcançar seu objetivo. Um exemplo disso é o emagrecimento. Quer emagrecer? Pare de comer tanto. Não é lógico? Não, não é, existem várias questões por trás desse problema que só pode ser entendido por um

  • Já se passaram 10 dias desse novo ano, já deu para perceber se mudou alguma coisa na sua vida ou não, se as suas atitudes serão as mesmas, se você está motivado para agir, se as coisas continuarão iguais. É o momento de começar a sentir frustração, a sair da dieta, a parar a academia, a perceber que as coisas tendem a continuar do mesmo jeito que estavam no ano passado. E a desmotivar, a entrar no automático e desistir das metas. Passando a empolgação do “ano novo, vida nova”, vamos equilibrar. Respeite o seu tempo, olhe para você, se conheça cada vez mais, saiba onde você coloca suas prioridades, tenha consciência de tudo o que está fazendo com a vida que tem. Como são seus hábitos? Saudáveis ou nem tanto? Hábitos são escolhas, podem ser mudados. Você vive mais consciente ou mais em fuga? Você busca pequenos prazeres momentâneos ou está construindo um futuro sólido? O ideal é achar o equilíbrio entre os dois. Tenha consciência do que quer e do que faz, mas deixa a vida fluir, observa o que a vida traz para você, sinta quais são as suas inspirações, para onde a sua intuição te leva... Conheça as suas aspirações e tenha metas. Perceba suas transformações ao longo de todos esses anos de vida que você tem. Reconheça a evolução que você teve até aqui. A vida não é só sobre o seu futuro, é preciso reconhecer as vitórias do passado e se sentir grato por ser você mesmo. Não precisa se cobrar tanto, não precisa sofrer tanto assim, faz o que você pode, dê um passo pequeno rumo ao seu sonho, mas não deixe de buscá-lo. Respira fundo, pega um folego, entrega essa ansiedade para o universo e deixa a vida fluir, confia que tudo que acontecer será para melhor, sinta o fluxo da vida e vai, não briga com o destino. É preciso equilibrar ação com fluidez.

  • A Roda da vida é uma ferramenta muito usada por Coaches e Psicólogos. Ela ajuda a planejar a sua vida de uma forma objetiva e estruturada. É possível encontrar vários modelos, mas essa que eu uso com meus pacientes e coachees é uma roda da vida integral que analisa doze áreas da sua vida, o que corresponde a praticamente todas as áreas da vida de uma pessoa. O primeiro quadrante está relacionado à PROSPERIDADE de uma pessoa, nele estão as áreas de:  SAÚDE e IMAGEM PESSOAL – é preciso avaliar essas duas áreas separadamente, pois são igualmente importantes. De zero a dez, qual nota você dá para cada uma delas? O que precisa ser feito para que você chegue ao dez que é completamente satisfeito com a sua saúde e com a sua aparência. Agora é só traçar uma meta, onde quer chegar, e cumprir a risca. DINHEIRO e RECURSOS – Dinheiro é quanto você realmente ganha e recursos são as formas que você conquista as coisas, pode ser na forma de presente ou renda passiva (como um aluguel que recebe). O dinheiro vem de várias formas até nós, quanto mais jeitos você ganhar dinheiro melhor. Avalie e planeje o que deseja. TRABALHO – Qual é a sua função no mundo? Como colabora para a sociedade? O que gosta de fazer, faz bem e ainda ganha dinheiro com isso. Se seu trabalho não for assim, então você não está trabalhando, apenas está tendo uma fonte de renda. É no trabalho que passamos a maioria das nossas horas acordados, é onde ganhamos dinheiro para realizar o que queremos, ou pelo menos sobreviver. Então é importante que essa ocupação seja prazerosa e fonte de autoreconhecimento.   O segundo quadrante está relacionado à FELICIDADE de uma pessoa, nele estão as áreas de: AMOR E SEXO – Bons relacionamentos amorosos são responsáveis por 80% da alegria de uma pessoa, que gosta de ter relacionamentos, não está incluído quem gosta de ficar sozinho. Então é muito importante avaliar a qualidade da sua relação. Não se deve ficar com alguém por comodismo, pena, medo de ficar sozinho, ou qualquer outra coisa que não seja amor, parceria, cumplicidade e paixão. FAMÍLIA E FILHOS – É importante separar a avaliação da relação do casal da relação com os filhos e o resto da família, pois jamais se deve ficar casado com alguém apenas por que tem filhos com aquela pessoa. A vida passa, os filhos crescem, saem de casa e o que sobrou da sua vida? Esse quadro é muito comum e geralmente as pessoas se arrependem de ter ficado tanto tempo com a pessoa errada. A avaliação aqui é apenas na relação com seus pais, seus filhos, seus irmãos, tios, primos. AMIGOS E VIDA SOCIAL – Seres humanos não nasceram para viver sozinhos, quem muito deseja ficar sozinho é quem tem medo de ser rejeitado e quem mais deseja amor e atenção dos outros, digo isso por experiência profissional. Por isso é importante conhecer pessoas e cultivar

  • De nada adianta eu te desejar um feliz ano novo se as suas atitudes continuarem as mesmas. É sempre a mesma história, mais um ano que termina, mais um ciclo que começa. Começamos o ano empolgados, esperançosos, achamos que será um ano maravilhoso, mas os dias vão passando, não fazemos a nossa parte, quando nos damos conta já estamos em junho, depois em outubro e o ano passou tão rápido que nem deu pra perceber. Todo ano é a mesma coisa, não é? Pois é, mas em todo final de ano existe uma mágica: a crença do inconsciente coletivo. O inconsciente coletivo é um conceito da Psicologia Analítica, criado por Jung. O inconsciente é uma camada profunda da nossa mente, todos nós temos conteúdos significativos guardados lá. E o inconsciente coletivo é a junção do inconsciente de todos nós, é um conjunto de sentimentos, pensamentos e lembranças compartilhadas por toda a humanidade, um exemplo disso são as lendas, os mitos. Tem coisas que todos nós sabemos, mas não sabemos muito bem como. É uma energia de renovação que contagia a maioria das pessoas na passagem de um ano para o outro. E por mais que seja apenas um dia passando para o outro, sentimos que se abrem infinitas possibilidades e que tudo que desejarmos poderá se tornar realidade. Nesse momento não importa a razão, importa o significado que cada um dá para esse período, por isso aproveite e sinta que tudo poderá se tornar realidade. Mas, além de sonhar é preciso agir! Quanto mais planejado e estruturado são seus planos, mais fácil de alcança-los. 1 – Saber o que você quer que aconteça na sua vida: É preciso ter seus objetivos bem claros. Não é para empacar na ideia de “como vou consegui-los”, pois isso é um boicote e uma desculpa para não sair do lugar. Pense apenas no que realmente você quer conquistar. Pode ser uma casa, um carro, um trabalho dos sonhos, uma viagem. Se tudo fosse possível, o que você gostaria de conquistar? Então deixa a vida fluir. 2 – Tenha sempre em mente o proposito das coisas: “Para que eu quero isso?” Você precisa de um propósito, um motivo bem convincente de porque será bom ter o que você deseja aquilo. Isso ajudará seu inconsciente trabalhar a seu favor. Preste atenção se não há conflito de crenças e valores, por exemplo: quero ganhar na loteria, mas tenho medo de sequestro, amigos falsos, perder tudo... quem pensar assim jamais ficará rico. 3 – Tenha consciência da realidade: Se você deseja ter uma casa própria, é importante você saber exatamente o que precisa para que isso aconteça. Muita gente tem esse sonho, mas acredita que é tão difícil de conseguir que não se permite nem pesquisar como faz para ter. Esse é um grande boicote. Saiba exatamente como seria a casa ideal para você, qual o tamanho, quais os bairros possíveis e o valor aproximadamente de uma casa assim. Depois descubra quais as possibilidades de um financiamento, consórcio

  • Existem pessoas que nos motivam e ser melhor e pessoas que nos fazem sentir vergonha por progredir. Cada pessoa é única, com suas qualidades e pontos a melhorar, mas tem gente que não se ajuda, não evolui e não quer que ninguém ao seu redor evolua. Muitas dessas pessoas não fazem por mal, muitas vezes nem percebem que fazem isso, tudo é disfarçado pela preocupação e zelo. Sabe aquela pessoa que fala que tudo é perigoso, que dará errado, que não será fácil então é melhor nem tentar?! É quase como se ela falasse que é ruim ganhar na loteria porque corre o risco de ser assaltado. Essas pessoas sempre deixam no ar uma sensação de que seus planos não darão certo ou deixam algum motivo para que você se sinta culpado pelas suas conquistas. Quanto mais importante uma pessoa é pra você, mais ela pode influenciar nas suas decisões e mais crenças positivas ou negativas ela pode colocar em seu inconsciente. Por isso escolha bem quem está ao seu lado. Sabe aquele velho ditado: conheça seus verdadeiros amigos quando você estiver tendo sucesso? É a mais pura verdade. É difícil ver seus sonhos sendo realizados por outras pessoas, ainda mais quando essas pessoas são próximas a você, tiveram as mesmas chances, têm histórias parecidas e oportunidades semelhantes. Fica evidente que a diferença entre quem conquista seus objetivos e quem não, é que algumas pessoas realizam enquanto outras dão desculpas. Procuramos motivos para justificar por que alguém tem sucesso e a tendência é achar que alguma mágica aconteceu, mas não pensamos que foi pelo esforço, pelas noites em claro estudando, ou pela dedicação e foco da pessoa. Costumamos falar que foi sorte, ajuda de alguém, suborno, sexo, qualquer coisa que teria facilitado. Mas por que a maioria das pessoas pensa assim? Imagine como seria difícil assumir que o único motivo pelo qual não chegamos ao sucesso foi culpa nossa, porque tivemos preguiça, ou desviamos do foco, ou dormimos demais, ou perdemos muito tempo distraídos nas redes sociais, ou desanimamos, desistimos, dramatizamos sentindo culpa de nós mesmos. É muito difícil tomar a responsabilidade pela nossa vida e pelas nossas escolhas, lidar com a culpa, assumir um fracasso. Para a nossa frustração ser menor, imaginamos que foi culpa de alguém o nosso insucesso e que foi um golpe de sorte o sucesso do outro. Por isso se afaste de pessoas medíocres e se aproxime de quem tem sucesso, de quem te inspira a ser alguém melhor.

  • Tudo o que nos acontece tem uma razão de ser, um motivo, um sentido, um algo a mais que muitas vezes só conseguimos perceber algum tempo depois. Não somos donos do nosso destino, muitas outras forças estão influenciando o que nos acontece todos os dias, tanto as coisas boas quanto as ruins. Há influencia do nosso inconsciente cheio de crenças e desejos, há influencias de energias, vibrações e frequências. Observe, muito do que planejamos acontece, mas também há muitos imprevistos e surpresas pelo caminho. Somos co-criadores da nossa vida, nem tudo depende de nós, mas podemos ser conscientes e mudar o que não gostamos na nossa vida, também somos capazes de reavaliar o significado que damos para as coisas. Podemos não escolher o que nos acontece, mas escolhemos como reagimos ao que nos acontece. Muitas vezes nos perguntamos: “que ônibus eu peguei pra chegar nesse ponto?!” Se você estiver vivendo uma vida da qual não gosta, pare de reagir e de reclamar, aceite tudo o que está acontecendo, pois é a sua realidade. Veja qual é a lição e o que de bom há nessa situação, pois toda situação ruim tem um lado positivo. Pense na situação que gostaria de estar vivendo, ao invés da que está, e então organize a logística. Onde seu coração está? O que te faz vibrar mais? Não fuja do seu destino. Organize seu sonho para que ele vire a sua realidade!!!!!! A vida segue um fluxo, ou um contra fluxo e quanto antes você perceber em qual deles está, melhor. Estamos no fluxo quando a vida parece leve, as coisas parecem acontecer sozinhas e até quando acontece algo ruim, logo percebemos que é para que algo de melhor aconteça, o mundo conspira a nosso favor. Já o contra fluxo é aquela sensação de tédio, que nada está dando certo, parece que há uma conspiração contra você e que tudo está se arrastando, está errado. Possivelmente esteja mesmo, você está lutando contra a natureza. O que acontece, acontece. O que acaba, acaba. O que não está no controle simplesmente não está. Tem coisas que precisamos deixar acontecer. Não brigue contra o destino, mas isso não é desculpa para deixar a vida sem rédeas, é preciso observar o sentido que a vida te leva, e tentar seguir conforme as coisas vão acontecendo. O sofrimento só existe quando resistimos e queremos que algo aconteça diferente do que é. O segredo da vida é planejar, construir e confiar. Entrega seu desejo ao universo, confia que seu sonho será realizado, aceita o que a vida te colocar como benção ou como lição e agradece por poder viver todas as experiências que te aparecem. Sem apego, sem mágoa, sem resistência. Não deixe de viver por medo de sofrer, perceba para que lado a vida te leva e se joga!   Quer falar mais comigo sobre isso? Clica Aqui

  • Ontem presenciamos um evento astronômico incrível: um eclipse solar total. Sempre, na história da humanidade, os eclipses foram alvo de diversas lendas e superstições, mas uma coisa é certa: mesmo que não haja comprovação científica, podemos perceber, empiricamente, que não há sutileza em um momento de eclipse, o escondido sempre é revelado... pelo menos na minha vida. A vida sai dos eixos, toda a verdade que não queríamos ver e que não podemos mais ignorar é revelada. Tudo sai dos trilhos para que os trilhos sejam reajustados e nos leve para nossa verdadeira essência e para uma vida mais feliz de uma vez por todas. É um momento propício às Grandes Transformações de vida! Não só na minha vida pessoal, mas também na vida dos meus pacientes, vejo grandes mudanças. Muitas situações veem à tona, para que todos nós tenhamos a oportunidade de solucionar assuntos pendentes e que por muito tempo foram ignorados. Tudo o que não nos faz bem, será retirado de nós. Não adianta ter apego ou medo. Agora é hora de entregar, confiar, aceitar e agradecer. Há uma energia maior comandando. Todas as pessoas estão tendo a chance de encarar a verdade em diversas situações, e se libertar de padrões e situações que atrapalham a evolução. É hora de resolver todas as pendências que nos impedem de seguir em frente para que dessa forma possamos descobrir e seguir novos caminhos que estejam mais alinhados com a nossa missão e nossa essência. Muitas pessoas percebem que estão vivendo um drama pessoal e que não está sendo bom, mas sentem medo de sair da zona de conforto, o bom parece ser mais seguro que o incrível. Por isso em épocas de eclipse há verdadeiros “shifts” de vida, empurrões do universo, situações inesperadas difíceis de compreender, para que você dê um salto quântico na vida. Para que haja uma limpeza é preciso primeiro haver o caos e é por isso que a maioria das pessoas resiste às mudanças e sempre acham uma desculpa para continuarem com seus confortáveis probleminhas. Porém, agora as coisas reprimidas estão aflorando, e está cada vez mais difícil deixar o errado permanecer. Por mais que seja dolorido, uma mudança se faz necessária. Agora é a hora de deixar de lado padrões e atitudes prejudiciais, e abri espaço para perceber os insights de soluções extremamente criativas, entusiasmadas, apaixonantes e positivas, em qualquer que seja a área: saúde, trabalho, finanças, relacionamentos, moradia… Fique atento ao momento presente, o que está acontecendo agora, todos os sinais, acontecimentos e insights. Se algo inesperado acontecer, perceba o motivo de isso estar acontecendo e compreenda que tudo que acontece tem um motivo e está ligado a algum ensinamento. E principalmente, fique atento ao que se inicia e ao que se encerra em sua vida, nem sempre as verdades são fáceis de aceitar. Não resista quando escutar um “não” provavelmente foi melhor que não aconteceu. Tudo é uma questão de ponto de vista, basta escolher o lado que vai olhar e decidir deixar

  • "Até você se tornar consciente, o inconsciente irá dirigir sua vida e você vai chamá-lo de destino." Carl Gustav Jung Antes eu acreditava que as pessoas decidiam suas próprias vidas, que estávamos no controle, comandando nosso futuro, escolhendo nosso cônjuge a nossa profissão, responsáveis pelas decisões que dão forma ao curso de nossa vida. Mas há uma força mais poderosa do que o livre arbitro: nosso inconsciente. Por baixo dos ternos, atrás das portas fechadas somos todos comandados pelos mesmos desejos. E esses desejos podem ser impróprios, sombrios e profundamente indecentes. Pensando agora, não é que eu não soubesse, mas era excitante demais, inebriante demais, eu não conseguia parar e de repente eu estava tão perdida que não reconhecia mais nada, principalmente a mim mesma. ... E assim que começa Gypsy, a nova série do Netflix que tem 10 episódios muito bem elaborados e envolventes. Jean Holloway (Naomi Watts) é uma mulher de classe média, por volta dos 40 anos, muito bem casada, tem uma filha e é Psicóloga Clínica. Uma vida aparentemente perfeita, mas cheia de regras, adequações sociais e responsabilidades. ... Jornalista, formada em Stanford, sua bebida preferida é Bulleit Bourbon, tem um endereço específico, seu antigo apartamento de solteira, e nenhum plano. Uma mulher completamente livre, envolvente e manipuladora. Essa é Diana, o alter ego da Jean. Diana é uma persona usada para fugir da realidade sem graça, é ela quem vai ao café da esquina, quem vai a academia e a qualquer lugar que Jean não precise dizer quem é. Ela se aproxima de Sidney, a ex-namorada de um de seus pacientes, a versão exata de quem ela gostaria de ser. Uma moça jovem, linda, talentosa e que leva uma vida sem regras, elas acabam se apaixonando e tendo um caso amoroso. Sidney é a pura projeção de quem Jean era ou gostaria de ser. Jean vai além da ética e da relação profissional paciente e se envolve intimamente com pessoas ligadas aos seus pacientes com a intenção de entender o que se passa realmente com eles para ajuda-los, para sentir a emoção que é ter o poder e o controle sobre a vida deles e a adrenalina de fazer coisas proibidas. Ela tem um espirito livre e não queria cair nos padrões em que todos caem depois que se casam e tem filhos. Ela queria explorar o mundo, parecia ser uma mulher forte, mas na verdade é emocionalmente frágil e se esconde na figura forte de Diana. Fica em aberto algumas histórias de seu passado, quando se envolveu mais do que deveria com pacientes, se colocando em situações difíceis. A série sugere que terá uma próxima temporada onde seus segredos serão revelados, e provavelmente novos surgirão. A necessidade de controle e a busca por uma vida fora dos padrões sociais são os temas centrais da série. Todos nós temos o desejo de controlar nossa vida e sentimos prazer quando podemos controlar a vida dos outros. Mães querem controlar a vida dos filhos, esposas querem controlar

  • 13 Reasons Why foi lançado no dia 31 de março pela Netflix e está sendo um grande sucesso mundial. Um tapa na cara da sociedade que finge não perceber assuntos que estão explícitos e que causam um grande estrago na vida das pessoas: bullyng e cyberbullying, machismo, sexualização das mulheres, assédio sexual e por fim, suicídio. A série é sobre a vida de uma adolescente comum dos Estados Unidos, Hannah, que é vitima de inúmeras situações comuns aos adolescentes, e esse é o problema, tudo o que ela passa, a maioria dos adolescentes passam e parece que ninguém acha isso estranho, horrível ou perigoso. Depois de muito sofrimento, falta de comunicação, carência afetiva, dramatização e a junção de muitas decepções, Hannah cometeu suicídio. Em 7 fitas cassete ela relata os eventos e suas percepções de cada coisa que aconteceu, dedicando cada lado das fitas a cada um de seus colegas que lhes deram 13 motivos para não querer mais viver. A grande sacada da série é nos fazer pensar se em algum momento fizemos alguma coisa para alguém que poderia nos tornar um “por que”. E o pior: para a grande maioria a resposta é sim. Somos maus quando sentimos medo. E todos que prejudicaram Hannah estavam com medo de alguma coisa. Isso não justifica, mas explica o motivo de Seres humanos agirem como agem. Se alguém se comporta de forma errada, procure seu medo. Clay Jensen – medo da rejeição da Hannah Justin Foley – medo de ser fraco e perder regalias. Não respeita mulheres, pois nunca viu a mãe ser respeitada. Jessica Davis – medo de ser enganada Alex Standall – medo de não ser aceito pelo grupo, medo do pai. Tyler Down - medo de não pertencer ao grupo, de ser invisível, vingativo Courtney Crimsen – medo de ser quem é e não ser aceita Marcus Cooley – medo de ser rejeitado Zach Dempsey – medo de ser vulnerável Ryan Shaver – medo de ninguém gostar do que ele gosta (poesias) Sheri Holland – medo de levar bronca do pai Bryce Walker – medo de não ser importante Mr. Porter – medo de prejudicar seu emprego e sua vida financeira Há muito tempo estamos falando de temas como bullying e machismo, porém de leve, precisava de uma série assim para incomodar todo mundo e nos fazer falar sobre o assunto. Seja por identificação com as personagens e assim perceber que podemos influenciar de forma inimaginável a vida dos outros. Ou para ter coragem de denunciar e desabafar mágoas vividas. Hannah sofria de depressão? Não. Ela viveu uma série de situações que a levaram ao suicídio, muito mais para acabar com o sofrimento do que com a vida. Assim como a maioria dos suicídios que são expressões simbólicas. Se Hannah tivesse sobrevivido certamente viveria uma vida feliz ao lado de seu namorado Clay e teria mais amigos atentos a ela. Hannah não tinha nenhum motivo clássico para sofrer bullyng, mas mesmo assim foi vítima. O que nos faz

  • Mais do que isso, precisamos falar sobre o que realmente é o amor e como é amar, pois as pessoas se esquecem desse conceito e as coisas parecem ficar um pouco confusas... Amor é liberdade e respeito, é admiração e motivação é apoio e segurança. Amar é equilibrar essas emoções e trabalhar em si mesmo essas emoções também. É se autoconhecer, se autorespeitar e se automotivar. É se colocar em primeiro lugar sim, e saber que se você não fizer por você, ninguém tem a obrigação de fazer. Se você está se sentindo carente, ame-se em primeiro lugar. Se estiver inseguro nesse relacionamento, sinta-se seguro com você mesmo, com seus sonhos e seus projetos. Não coloque sua vida na mão do outro e não aceite que ninguém coloque a vida em suas mãos, cada um é responsável pelo próprio desenvolvimento, podemos ajudar e ser ajudado, mas nunca delegar essa responsabilidade, pois isso e fugir de si mesmo. Tudo que há em mim só pode ser transformado por mim, e tudo que há no outro só pode ser transformado por ele e se ele quiser. Ninguém muda ninguém e ninguém deve querer mudar ninguém, porque isso não é amor, é desrespeito. Quando estamos em um relacionamento e queremos que o outro mude, a única coisa que podemos fazer é dizer ao outro como eu me sinto com as atitudes dele, se ele quiser então ele mudará. Não devemos obrigar essa mudança, muito menos brigar porque queríamos que o outro agisse diferente. Ele não agiu diferente porque não quis, é muito simples. Não posso mudar o que vem de forma legítima do coração de outra pessoa por mais que isso me deixe triste. Não posso obrigar alguém a me amar mais, a me dar mais atenção ou a me tratar melhor se essa pessoa não fizer isso por vontade própria. Há uma grande diferença entre acusar alguém de fazer algo que te machucou e dizer que se machucou com algo que alguém fez. Nos sentimos ofendidos a partir do nosso histórico de vida, podemos ter passado por tanto sofrimento que nos tornamos alguém muito sensível, e então interpretaremos de forma errada as atitudes do outro, como se tudo fosse pessoal. Precisamos avaliar qual foi a intensão do outro com aquela atitude e dizer que aquilo nos ofendeu. Pois acusar alguém de algo errado também é uma agressão. Eu sou responsável pelos meus sentimentos, emoções, atitudes, pensamentos e palavras. Da mesma forma que escolho o que falo, devo escolher o que acolho. Não escolhemos o que ouvimos, mas escolhemos a forma de interpretar o que ouvimos. Nossas atitudes não devem depender das atitudes das outras pessoas e sim dos meus valores. Não devemos reagir ao que nos acontece e sim entender porque acontece e então agir, não contra o outro, mas a nosso favor. Quem ama deve buscar o amor, deve emanar amor e se o outro não corresponde é um problema do outro. Não podemos querer ter controle sobre a vida do

  • Há quem diga o contrário, mas eu acredito que todas as pessoas têm uma missão de vida e que nasceram com uma finalidade. Por isso, acredito que a mediocridade é o destino dos preguiçosos e que todos nós podemos ter realizações. Vamos te ensinar a ser uma pessoa mais interessante e sair da mediocridade em 10 passos: Autoconhecimento é fundamental. É importantíssimo que você se conheça para poder tomar decisões mais certas e coerentes. Ter um caso de amor com você mesmo é a chave para uma vida maravilhosa, o autoconhecimento é o primeiro passo para aumentar a autoestima. Então comece a se interessar mais por você... ESCUTE opiniões diferentes das suas. Eu sei que a nossa primeira reação, ao conversar com alguém que pensa diferente da gente, é achar que a pessoa está errada, é babaca, não sabe nada da vida... Mas essa pessoa tem motivos para pensar da forma que pensa e quem sabe seus argumentos são tão bons que te farão repensar seus ideais. E achar que você está sempre certo te tornará uma pessoa chata. DESCONECTE da internet. Eu sei que a internet tem muitos benefícios, mas é importante equilibrar com a realidade do momento presente. Se você viajar sem destino poderá encontrar lugares incríveis. Se você estiver atento às pessoas poderá conhecer gente nova. Se você não tiver nada para fazer poderá pensar, refletir, ficar sentado no meio da sala sem nenhum estímulo, apenas você e sua consciência, isso é maravilhoso! SINTA. Apenas sinta, não fuja de sentimentos. Perceba as sensações que as coisas te trazem. Tente sair do automático e sinta. Perceba dos sons, os cheiros, as texturas, as belezas, o gosto das comidas durante o dia, use seus sentidos. Perceba os momentos de frustração, tédio, tristeza sem querer sair deles. Tudo é dual, é preciso sentir frio para sentir prazer no calor, é preciso sentir tristeza para valorizar a alegria. DESCUBRA coisas novas. As crianças são muito curiosas, então em algum momento da sua vida você já se interessou por muitas coisas e aprendeu perguntando para as pessoas, você não sentia vergonha em não saber, por isso aprendia mais rápido. Faça mais perguntas, se interesse por diversos assuntos, assim você descobrirá coisas novas de que gosta e nunca imaginou que poderia gostar. MOSTRE-SE para o mundo. As pessoas não saberão o que você sabe se você não contar, às vezes uma ótima oportunidade de emprego está bem perto de você, mas se as pessoas não sabem sobre quais assunto você domina ninguém te indicará para uma vaga. Todas as pessoas tem portas abertas em potencial. DÊ SENTIDO a sua vida. Saia da rotina, comer, trabalhar, ver TV, comprar, dormir, acordar... Faça algo legal, que dê sentido a sua vida, faça coisas das quais você se orgulha. Mesmo que você não saiba o que fazer da vida, comece cuidando do seu corpo, da sua casa e depois da sua profissão. Leia livros e assista a filmes clássicos, no mínimo você será uma ótima companhia. NÃO

  • Muito tem se falado sobre o sagrado feminino e empoderamento feminino. Mas você sabe o que são essas coisas e sabe como conquista-las? O empoderamento feminino é se conectar com a essência feminina e essa essência está ligada ao divino, por isso sagrado. Todas as mulheres podem e conseguem sentir-se conectadas e empoderadas, mas não são todas que acreditam nesse poder ou que conhecem seus benefícios. Uma mulher empoderada é uma mulher livre e conectada com a sabedoria da vida, da natureza e dos antepassados. É uma mulher que conhece seus ciclos e os ciclos da natureza e tem a sensibilidade de perceber e respeitar os processos de outras pessoas. Para que uma mulher sinta-se empoderada ela precisa se conhecer, saber de suas fortalezas e debilidades, buscar corrigir seus erros e tornar-se cada vez melhor e mais sábia, para que assim inspire outras mulheres a acessarem seus potenciais e a se empoderarem também. Uma mulher empoderada é conectada, conhece sua missão e a vive plenamente, não se desvia e não se perde em situações que não trazem crescimento ou aprendizados. Ela sabe qual é seu sonho e segue seu caminho até realiza-lo. Uma mulher empoderada aceita a impermanência da vida e suas revoluções, ela tem a fluidez da água para se readaptar aos imprevistos e fluir sem discutir com os aborrecimentos que ela não pode mudar, ela busca aprender com eles, mesmo com os mais dolorosos. Ela não culpa ninguém pelo que lhe acontece, sabe que é responsável pelo seu futuro. Uma mulher conectada com a sua essência sabe o que lhe faz bem e consegue desapegar do que não faz, pois não sofre pelo apego, ela tem consciência de que o melhor a espera e não sente medo de se soltar do que não faz bem. Uma mulher empoderada tem o amor que acha que merece e não aceita menos do que um ótimo relacionamento. Ela busca crescimento, parceria e lealdade e assim também entrega. Ela não sente ciúmes, pois acredita que um homem ao seu lado será muito feliz, mas caso não esteja ela o deixa livre para ir. Ela admira, confia e respeita e assim também quer ser tratada. Uma mulher empoderada é livre para decidir o que quer e como se sente melhor, ela não precisa provar nada para ninguém, pode assumir qualquer papel que quiser, desde dona de casa até líder de grandes equipes em grandes empresas. E sabe que sua decisão não é baseada no medo e sim no amor. Uma mulher empoderada não julga outras mulheres, pois não se sente melhor do que elas, ela sabe que o julgamento é uma armadilha do ego e que todas as mulheres estão nesse planeta para aprender, ensinar, desfrutar e cumprir sua missão. Cada uma está em um momento de vida e têm histórias diferentes. Uma mulher empoderada não tem medo de mudanças, ela já aprendeu que até nos momentos difíceis é possível ver beleza, pois o mundo é dual e somos nós que escolhemos para

  • O carnaval é a época do ano escolhida para as pessoas extravasarem suas fantasias e desejos, reprimidos o resto do ano, sejam eles bons ou ruins. São os dias em que as sombras pessoais saem para sambar na avenida sem medo de julgamentos. São os dias mais esperados do ano para viver personagens, munidos de suas fantasias, que se permitem fazer o que querem sem julgamentos de valor e livres de cobranças morais. É uma época para fugir dos sofrimentos, esquecer dos problemas e fingir que tudo está bem. Pelo menos no Brasil, é a época do ano mais primitiva que há, é onde os instintos mais selvagens estão aflorados. A Psicologia explica esse fenômeno, segundo Freud, é neste momento de carnaval que somos dominados pelo ID, que é uma parte da nossa psique mais selvagem e indisciplinada, todos os seres humanos possuem ID, muitos o controlam bem, mas é no carnaval que várias pessoas o libertam e são tomadas pelos impulsos do prazer e conduzidos pelos desejos, e as consequências parecem muito distantes. Podemos ver na avenida vários personagens incorporados, chamados por Jung de Arquétipos. Tem o masculino dominador, que é aquele cara bombado sem camisa tentando seduzir, ou atacar, qualquer mulher que ele ache atraente sem se preocupar se ela quer ser “seduzida” ou não. Tem a mulher Afrodite sedutora, que são as mulheres que seduzem através do corpo, muitas podem escorregar para a vulgaridade, mas o objetivo é se sentir bonita, atraente e desejável. Mesmo que elas neguem o objetivo de seduzir e falem que estão só se divertindo, a linguagem corporal sempre falará mais do que as palavras ditas. Tem também o louco, que se passa na bebida, na dança, na euforia e vive tudo em exagero sem medir as consequências. Tem o palhaço que busca a aprovação dos outros através da palhaçada, de ser engraçado e fazer os outros rirem dele. Tem o alquimista que proporciona sensações maravilhosas e afrodisíacas através de bebidas e drogas. E ainda podemos ver o sábio que é aquela pessoa sensata que fala para não beber e dirigir, para usar camisinha e fazer sexo seguro, para se hidratar tomando bastante água e para passar filtro solar. É também no carnaval que podemos percebemos outro fenômeno interessante: o poder do grupo sobre o indivíduo. O Ser Humano é um Ser sociável que se relaciona constantemente e necessita de bons relacionamentos para ser feliz. Quando uma pessoa está em grupo, ela fica extremamente influenciável pela energia coletiva e tende a perder suas características pessoais, ficando propensa a apresentar comportamentos grotescos que teria vergonha de fazer se estivesse sozinha. Podemos dizer que o fenômeno de grupo é semelhante a uma hipnose, pois em ambos as pessoas são mais regidas pelo inconsciente e tem menos respostas racionais. Por exemplo, em grupo uma pessoa se sente forte o suficiente para quebrar um patrimônio público, coisa que não faria se estivesse sozinha. Infelizmente poucas pessoas usam o poder do grupo para fazer coisas boas e construtivas.

Receba GRATUITAMENTE a minha Newsletter para te inspirar a ter uma vida consciente!

Junte-se a várias pessoas para receber dicas exclusivas direto da Luiza